sicnot

Perfil

Economia

Polícia económica da Noruega questiona Statoil sobre pagamento à Sonangol

A gigante petrolífera norueguesa Statoil anunciou hoje que reuniu com a polícia de crimes económicos para explicar pagamentos à congénere angolana Sonangol de quase 50 milhões de dólares para a instalação de um centro de investigação e tecnologia.

© Scanpix Scanpix / Reuters

O anúncio, no qual fica claro que não existe qualquer investigação criminal em curso e a empresa garante nada ter feito de errado, diz respeito a pagamentos feitos nos últimos quatro anos para o estabelecimento de um centro de tecnologia e investigação, no valor de 48,9 milhões de dólares (43,9 milhões de euros), segundo as declarações do ministro do Petróleo, Tord Lien, ao parlamento.

"Estes pagamentos não violam a legislação contra a corrupção, o que não invalida o facto de haver muito pouca informação disponível sobre o progresso na implementação do centro de tecnologia e investigação", afirma a petrolífera na carta enviada ao ministro, disponível na página na Internet do Ministério do Petróleo da Noruega.

A Statoil, que é detida em 67% pelo governo da Noruega, está presente em Angola desde 1991, país onde produz cerca de 200 mil barris por dia, quase 10% da produção total do país.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.