sicnot

Perfil

Economia

Ministro das Finanças grego questiona boa-fé do FMI

O ministro grego das Finanças lançou hoje dúvidas sobre a atitude do Fundo Monetário Internacional (FMI) no plano de resgate financeiro da Grécia, questionando-se sobre a sua "boa-fé" em relação à Grécia e à zona euro.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

"O Fundo disse que ao mesmo tempo que nos pressionava para as reformas, pressionava os nossos credores para a dívida", afirmou Euclide Tsakalotos, que tutela a pasta das Finanças na Grécia, exigindo que a União Europeia (UE) alivie a Grécia.

"Mas toda a pressão está sobre nós, na medida em que os Estados-membros disseram que a discussão sobre a dívida só se vai abrir depois de concluída a primeira avaliação" dos esforços de ajustamento de Atenas, disse o governante grego, sublinhando "ter dificuldade em ver que o FMI se comporte de boa-fé".

"O Fundo deve compreender que nós somos um país europeu" e não pode "dificultar a estratégia do Governo de sair do ciclo viciosos de medidas-recessão-novas medidas", reiterou.

O Governo helénico e as autoridades europeias acordaram em 2015 um novo programa de resgate financeiro, o terceiro desde 2010, no montante de 86 mil milhões de euros.

Até agora, o FMI não confirmou a sua participação no programa, e já disse que só participa se se aplicarem reformas credíveis e houver um alívio da dívida por parte dos europeus.

Porém, os europeus têm-se manifestado reticentes a este alívio da dívida, o qual contudo é considerado por Atenas como fundamental para continuar com as reformas.

Lusa

  • Primeiro-ministro grego recebe presidente do Conselho Europeu

    Mundo

    A reunião entre Alexis Tsipras e Donald Tusk acontece numa altura em que a Grécia diz que estão prontos a funcionar quatro dos cinco Centros de Identificação e Triagem de Refugiados. A abertura dos centros esteve prevista para o outono passado, mas foi adiada até agora.

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.