sicnot

Perfil

Economia

Dívida pública passa a ser inferior a 130% do PIB em 2015

A dívida pública portuguesa fixou-se nos 128,9% do Produto Interno Bruto (PIB) no final do ano passado, um ligeiro recuo face aos 130,5% do trimestre anterior e aos 130,2% de 2014, segundo o Banco de Portugal.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O endividamento do Estado situou-se nos 231 mil milhões de euros em dezembro último, quando contabilizado na ótica de Maastricht, o que equivale a 128,9% do PIB, de acordo com o Boletim Estatístico do supervisor bancário que foi hoje divulgado.

No final de setembro de 2015, a dívida pública estava nos 231,9 mil milhões de euros, correspondentes a 130,5% do PIB, na viragem do semestre o valor ascendia a 227,1 mil milhões de euros (128,6% do PIB) e no final do primeiro trimestre era de 228 mil milhões de euros (130,3% do PIB).

No início do mês, o Banco de Portugal já tinha libertado o valor nominal da dívida pública no ano passado, marcado por um aumento de 5,2 mil milhões de euros face ao final de 2014 (225,8 mil milhões de euros e 130,2% do PIB), porém, não era apontada a evolução em função do PIB.

Já a dívida pública líquida de depósitos da administração central terminou o ano passado nos 217,7 mil milhões de euros (mais 4,1 mil milhões de euros do que no anterior mês de novembro), uma evolução justificada com a resolução do Banif no final de dezembro, com as transferências de capital que foram efetuadas pelo Estado e pelo Fundo de Resolução para o banco a implicarem um aumento de 2,3 mil milhões de euros nesta rubrica.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15