sicnot

Perfil

Economia

Mars ordena recolha de chocolates em 55 países

O grupo agroalimentar Mars ordenou hoje uma gigantesca retirada de chocolates Mars e Snickers em 55 países, depois de um pedaço de plástico ter sido encontrado numa tablete. Veja na no fim do artigo a informação específica sobre os lotes e as datas de validade abrangidas.

© Fabrizio Bensch / Reuters

A Mars forneceu a lista com os códigos dos produtos que estão a ser recolhidos.

A Mars forneceu a lista com os códigos dos produtos que estão a ser recolhidos.

© Fabrizio Bensch / Reuters

"Pelo que sabemos estão envolvidos 55 países", disse uma responsável do grupo para a Holanda, Eline Bijveld, à agência France Presse, adiantando que a recolha "apenas diz respeito aos produtos produzidos na Holanda" na fábrica do grupo Mars na cidade de Veghel (sul).

A decisão surge depois de um consumidor ter encontrado um pedaço de plástico vermelho numa tablete de Snickers comprada a 08 de janeiro na Alemanha.

Após se ter queixado à Mars, verificou-se que o plástico provinha da fábrica em Veghel, de uma capa protetora utilizada no processo de fabrico.

"Estamos a investigar o que é que aconteceu exatamente, mas não podemos ter a certeza de que o pedaço de plástico vermelho não se encontra noutro dos nossos produtos da mesma linha de produção", disse Bijveld.

Assim, o grupo decidiu de modo "voluntário" e "por precaução" ordenar a recolha de produtos em vários países, incluindo a maioria dos europeus, como Holanda, Alemanha, França e Reino Unido, bem como o Sri Lanka e o Vietname.

Segundo Bijveld, a retirada não se estende aos Estados Unidos.

Trata-se da primeira vez que a Mars tem de retirar produtos feitos na fábrica de Veghel, que abriu em 1963 e que emprega 1.200 pessoas.

A Mars Incorporated é um gigante norte-americano do setor agroalimentar, conhecido sobretudo pelos seus chocolates, mas que fabrica também arroz, massas e alimentos para animais domésticos.

Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35

    País

    A data para as próximas eleições autárquicas já gerou consenso. 1 de outubro é a data pedida pelos vários partidos ouvidos esta segunda-feira por António Costa. Na próxima quinta-feira, no Conselho de Ministros, o dia de ir às urnas vai ser escolhido.