sicnot

Perfil

Economia

Empresas portuguesas ainda não estão a beneficiar dos 315 mil M€ do Plano Juncker

Empresas portuguesas ainda não estão a beneficiar dos 315 mil M€ do Plano Juncker

Praticamente nenhuma empresa portuguesa está a beneficiar do Plano Juncker. O mega programa de investimento europeu tem 315 mil milhões de euros disponíveis para as empresas, mas a Portugal ainda só chegaram 42 milhões. O Governo pede à Comissão Europeia que mude as regras que estão a prejudicar o país.

  • O que é o Plano Juncker?
    3:21

    SIC Europa

    Foi anunciado em novembro do ano passado e estará pronto a partir de outubro. A Comissão Europeia lançou o Plano Juncker mas como vai angariar 315 mil milhões de euros e que projectos vai financiar? O eurodeputado do PSD José Manuel Fernandes ajuda-nos a esclarecer as dúvidas.

  • Tribunal de Contas apresentou reservas em relação ao SIRESP em 2006

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O Tribunal de Contas avisou em 2006 que o Estado poderia sair prejudicado nos moldes em que o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) estava a ser desenhado. De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, terão sido a ausência de um concurso público, a falta de tempo para a apresentação de propostas e mexidas no caderno de encargos a motivar as reservas do tribunal.

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Chef russo aconselha bife tártaro aos jogadores portugueses
    1:29
  • Bispo do Mali terá contas na Suíça com 12 M€
    1:49

    Mundo

    Há uma polémica a envolver um novo cardeal da Igreja católica. Um bispo do Mali, escolhido pelo Papa para o colégio cardinalício, está a ser relacionado com contas na Suíça onde estarão depositados milhões de euros. A cerimónia que o fará cardeal está marcada para hoje.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.