sicnot

Perfil

Economia

Ministro acusa a direita de "sujar o debate" sobre acordo da TAP

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, acusou ontem a direita de utilizar a técnica de sujar o debate sobre a reversão da privatização da TAP por falta de conteúdo para contestar.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

"Compreendemos bem a sua técnica de sujar o debate quando não tem nada de factual para trazer ao debate, quando vocês andaram a privatizar às escondidas", afirmou Pedro Marques, em resposta ao deputado do PSD Luís Leite Ramos, que acusou o Governo de "falta de verdade" em relação à entrada de acionistas chineses no capital da TAP e questionou o papel de Diogo Lacerda Machado nas negociações com o consórcio Atlantic Gateway.

Na audição conjunta da Comissão de Orçamento e Finanças com a Comissão de Economia e Obras Públicas, o ministro defendeu o acordo alcançado, que permite ao Estado ser acionista maioritário com 50% do capital da TAP, acusando o anterior executivo de privatizar a companhia aérea de "forma precipitada e obscura".

"O que custa aos deputados da direita é que ficou evidente a insegurança da fase anterior da negociação. Não esperavam que fosse possível chegar a esse acordo: manter um acionista privado de referência, mantendo o controlo estratégico do Estado", acrescentou Pedro Marques.

Às questões do deputado social-democrata sobre o papel do antigo secretário de Estado Diogo Lacerda Machado nas negociações com o consórcio Atlantic Gateway, o governante reiterou que o advogado, amigo pessoal do primeiro-ministro, António Costa, ajudou o Governo "na fase da negociação do memorando".

"Contrataremos uma assessoria jurídica na fase que corresponde à celebração do acordo, como acontece sempre nestes processos", acrescentou.

Sobre a entrada da companhia chinesa HNA no capital da TAP, o ministro que tem a tutela da transportadora aérea disse que "já vinha a ser negociado no tempo do Governo anterior", realçando que "a posição do Estado fica intocada".

No memorando de entendimento que fechou a recompra de ações pelo Estado, lê-se que "o Estado português autoriza desde já a entrada no capital social da Atlantic Gateway pela HNA, em percentagem a acordar entre os acionistas da Atlantic Gateway e a HNA".

Em declarações à Lusa, David Neeleman, que juntamente com o empresário português Humberto Pedrosa constitui o consórcio Atlantic Gateway, garantiu que o grupo acabará por ficar "indiretamente com 10% a 13% da TAP", que o anúncio desta participação deve acontecer "ainda este ano" e que os pormenores da rota com a China "deverão ser conhecidos na mesma altura."

Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.