sicnot

Perfil

Economia

OE prevê verba de 705,3 milhões para universidades e 270,2 para os politécnicos

As universidades vão receber, este ano, 705,3 milhões de euros, mais três milhões do que em 2015, revela a proposta de Orçamento do Estado, que mantém o mesmo financiamento para os institutos politécnicos, 270,2 milhões de euros.

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

Os números, que não incluem outros fundos nacionais e fundos comunitários, constam no documento "Breve análise do programa orçamental 'Ciência, tecnologia e ensino superior' da proposta de Orçamento do Estado para 2016", disponível no portal do parlamento.

O ministro da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, é ouvido na segunda-feira, na Assembleia da República, no âmbito das audições para apreciação na especialidade do Orçamento do Estado.

Em 2015, excluindo os reforços extraordinários para algumas instituições, as dotações diretas do Orçamento do Estado para as universidades foram 702,3 milhões de euros e as dos institutos politécnicos 270,2 milhões de euros.

As escolas superiores politécnicas não integradas, também incluídas na rede de instituições de ensino superior público, vão receber igualmente o mesmo, 26,6 milhões de euros.

O Fundo de Ação Social, que visa apoiar estudantes universitários mais carenciados, aumenta, em 2016, cerca de 20 milhões de euros, para 138 milhões, face a 2015, de acordo com a mesma proposta orçamental.

O fundo engloba verbas do Orçamento do Estado e comunitárias.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15