sicnot

Perfil

Economia

Desemprego na zona euro no valor mais baixo desde 2011

A taxa de desemprego na zona euro baixou para 10,3% em janeiro, face aos 10,4% do mês anterior e 11,3% de janeiro de 2015, atingindo o valor mais baixo desde agosto de 2011, anunciou hoje o Eurostat.

© Stephane Mahe / Reuters

Os dados atualizados do desemprego na Europa hoje publicados pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia revelam também que Portugal, embora tenha mantido em janeiro a taxa de desemprego registada no mês anterior (12,2%), registou a quarta maior queda em termos homólogos (face ao mesmo período do ano anterior), com um recuo de 1,5 pontos (em janeiro de 2015 a taxa era de 13,7%).

Já no conjunto dos 28 Estados-membros da UE, a taxa de desemprego recuou também uma décima face ao mês anterior, ao cair de 9,0% em dezembro passado para 8,9% no primeiro mês de 2016, e quase um ponto na comparação homóloga, já que em janeiro do ano passado era de 9,8%.

A taxa de desemprego de 8,9% no conjunto dos 28 Estados-membros é a mais baixa na UE desde maio de 2009, aponta o Eurostat.

O gabinete de estatísticas da UE estima então que em janeiro deste ano 21,789 milhões de pessoas estavam desempregadas na União Europeia, 16,647 milhões das quais na zona euro, o que comparando com janeiro de 2015 representa uma queda do número de desempregados de mais de dois milhões de pessoas no conjunto dos 28 Estados-membros e de 1,4 milhões no espaço da moeda única.

Relativamente ao desemprego jovem (pessoas com menos de 25 anos), a taxa fixou-se no primeiro mês do ano nos 22,0% na zona euro (face a 22,8% um ano antes), e nos 19,7% na UE (em janeiro de 2015 era de 21%).

Portugal registou uma taxa de desemprego jovem de 29,9% (face a 30,1% em dezembro passado e 34,4% em janeiro de 2015), continuando Grécia e Espanha a registarem os valores mais elevados: 48% no caso da Grécia (dados de novembro de 2015) e 45% em Espanha (janeiro de 2016).

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras