sicnot

Perfil

Economia

Kwanza é a moeda africana mais sobrevalorizada segundo Índice KFC

O kwanza é a moeda africana mais sobrevalorizada, segundo um estudo da consultora Sagaci Research que usa o custo de um dose de 12 peças de frango da cadeia de restauração norte-americana KFC.

(arquivo)

(arquivo)

© Stringer . / Reuters (Arquivo)

A taxa oficial de câmbio está 72 por cento sobrevalorizada face ao dólar, de acordo com o Índice KFC publicado no site da consultora Sagaci Research, que segue de perto o conhecido Índice Economist Big Mac, que analisa o custo de um hamburguer 'Big Mac' da cadeia McDonalds em dezenas de países em todo o mundo, ajustando-o com a paridade do poder de compra.

A KFC está presente em 18 países africanos e, de acordo com a agência de notícias financeira Bloomberg, o kwanza desvalorizou 17% face ao dólare desde janeiro deste ano, o que acrescenta a uma quebra de 24% registada durante o ano passado, na sequência da descida dos preços do petróleo e da desvalorização iniciada pelo banco central para controlar o aumento galopante da inflação.

Angola é o segundo maior produtor desta matéria-prima na África subsaariana, que é a fonte de mais de 75% das receitas fiscais antes da queda dos preços, e representa a quase totalidade das exportações do país.

"A economia está bastante mal e com muitas dificuldades, mas o governo e o banco central estão artificialmente a sustentar os níveis atuais do kwanza", comentou o diretor da Sagaci Research, em declarações à Bloomberg.

Os dados para este estudo foram recolhidos na terceira e quarta semana de janeiro em 16 países africanos, e mostram que uma dose de 12 bocados de frango frito custa o equivalente a 35,2 dólares em Angola (pouco mais de 32 euros) e 10,7 dólares na África do Sul.

Em Portugal, de acordo com o site da empresa, uma embalagem de 14 pedaços 'Hot Wings' custa 7,5 euros.

Os números citados pela Bloomberg mostram também que no mercado negro um dólar chega a valer 440 kwanzas, o que compara com a taxa implícita no estudo de 270,9 por dólar.

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.