sicnot

Perfil

Economia

Associação Portuguesa de Bancos diz que nacionalização do Novo Banco é "quase impossível"

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB), Fernando Faria de Oliveira, destacou hoje que uma eventual nacionalização do Novo Banco é um processo quase impossível face às novas regras europeias, obrigando à resolução do banco de transição.

© Rafael Marchante / Reuters

"A nacionalização não é um processo fácil, e eu diria mesmo que é muito difícil de por em execução. No quadro de uma resolução, existe uma disposição que permite, em condições excecionais - que ponham em causa a estabilidade do sistema financeiro -, uma nacionalização que tem que ser aprovada pela Comissão [Europeia]", afirmou à Lusa o responsável.

"Mas isso já aconteceu. O que foi objeto de resolução foi o BES e essa não foi a opção tomada", vincou, à margem de um evento em Lisboa, sublinhando que "a opção que a APB defendia na altura era a utilização da linha de recapitalização".

Segundo Faria de Oliveira essa "era a melhor via", porém, como não foi essa a solução adotada, "já faz parte do passado".

O responsável explicou que, "nas circunstâncias atuais, o que está em causa é um banco de transição. E também existem, em termos do quadro legal em vigor, regras bem definidas em relação a um banco de transição".

Assim, "nacionalizar um banco de transição no novo quadro que entrou em vigor no dia 01 de janeiro não é possível sem uma resolução prévia do Novo Banco", vincou, pelo que este "é um processo que é quase impossível de ser concretizado".

Ainda assim, Faria de Oliveira admitiu que "existirá alguma capacidade negocial sobre esta matéria", mas considerou que o mais importante é apostar na venda da instituição.

"Vamos ver se se consegue que o processo de venda corra bem e que, se possível, se encontre um comprador que seja muito credível e que permita uma configuração do sistema bancário português onde em qualquer circunstância exista um peso significativo da banca nacional", lançou.

O líder da APB destacou que, na ótica da banca, o objetivo é que "a venda se efetue de maneira a maximizar o valor da venda e, com isso, diminuir o esforço que eventualmente os bancos vão ter que fazer e que vai corresponder à diferença entre os 4,9 mil milhões de euros do capital inicial do Novo Banco e o valor efetuado com a venda".

Já em termos de calendário, Faria de Oliveira considerou que "deve ser definido por quem de direito, devendo ter sempre em vista este objetivo de minimizar o eventual esforço do sistema bancário".

O responsável disse ainda que "é importante considerar que a própria resolução em si mesma contém ingredientes que, na realidade, ferem a concorrência", mas que "também trazem vantagens ao sistema bancário, sem dúvida, porque evitam crises sistémicas".

Para o porta-voz da banca, "não há dúvida que os outros bancos estão a permitir a continuação em atividade de um banco que estava em situação muito difícil e, por outro lado, no próprio ato de venda, podem acabar por fazer quase uma espécie de subsidiação ao comprador".

E prosseguiu: "Isto são matérias que, do ponto de vista da concorrência, foram seguramente pensadas pelos políticos que definiram o regime e que têm de facto como contrapartida evitar o risco sistémico, mas têm o seu quê de controverso".

Portanto, no seu entender, "importa que o processo de venda corra muito bem. Que seja muito bem concebido em termos do método de venda, que neste momento está em aberto, e em termos de 'timing'".

Faria de Oliveira concluiu que a expectativa dos bancos é que "quer o Governo quer o regulador trabalhem conjuntamente para que ele seja bem-sucedido".

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • FC Porto acusa Benfica de recorrer a serviços de "bruxaria"
    2:34

    Desporto

    Francisco J. Marques acusou o Benfica de recorrer a "bruxaria". O diretor de comunicação do FC Porto revelou uma troca de e-mails entre Luís Filipe Vieira e Armando Nhaga, suposto comissário nacional da polícia da Guiné-Bissau com a celebração de um contrato de prestação de serviços.

  • Francisco J. Marques promete continuar a revelar e-mails
    2:11

    Desporto

    Francisco J. Marques diz que a Polícia Judiciária sabe como o Futebol Clube do Porto teve acesso aos e-mails e desafia o Benfica a revelar os originais. O diretor de comunicação do clube portista revelou ainda que irá continuar a divulgar e-mails, já que isso não é incompatível com o segredo de Justiça.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.

  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Quem é a mulher que diz ser filha de Salvador Dalí

    Cultura

    Maria Pilar Abel Martínez nasceu em 1956 e será o alegado fruto de um caso entre a sua mãe e Salvador Dalí. Um tribunal de Madrid ordenou a exumação do cadáver do pintor e a obtenção de amostras, de modo a determinar se a mulher espanhola é mesmo filha de Dalí.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.