sicnot

Perfil

Economia

Maria Luís Albuquerque recusa incompatibilidade das novas funções

A deputada do PSD e ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque confirmou hoje a sua contratação pela Arrow Global para administradora não executiva, defendendo não ter "nenhuma incompatibilidade ou impedimento legal" com atuais ou anteriores funções políticas. O PCP já anunciou que vai levar a matéria à subcomissão parlamentar de Ética.

© Hugo Correia / Reuters

"A função de administradora não executiva não tem nenhuma incompatibilidade ou impedimento legal pelo facto de ter sido ministra de Estado e das Finanças e de ser deputada. Qualquer outra leitura que possa ser feita desta nomeação só pode ser entendida como mero aproveitamento político-partidário", afirmou Maria Luís Albuquerque, em comunicado.

A ex-ministra das Finanças foi nomeada para diretora não executiva do grupo Arrow Global, o qual tem em Portugal clientes como o Banif, o Millennium BCP ou o Montepio, com efeitos a 07 de março e que a agora deputada vai integrar o comité de risco e auditoria.

PCP convoca subcomissão parlamentar de Ética

O deputado do PCP Jorge Machado anunciou hoje que o seu grupo parlamentar vai pedir à subcomissão de ética para avaliar a situação da deputada do PSD Maria Luís Albuquerque, contratada por um grupo britânico de gestão de crédito.

"Tem havido demasiado tempo de promiscuidade entre o poder político e o poder económico e essa é uma mensagem errada que não se deve transmitir ao povo português. Os titulares de cargos públicos devem tê-los devidamente separados do poder económico", afirmou o parlamentar, nos passos perdidos do parlamento.

"Esta promiscuidade de uma deputada, que foi ministra das Finanças, que esteve diretamente relacionada com o processo do Banif e agora é contratada por uma empresa que ganhou a carteira de créditos mal parados desse mesmo Banif, é uma matéria que, do ponto de vista da ética republicana, deveria suscitar sérias questões. Mas, lá está, em matéria de ética, cada um tem a que tem", salientou Jorge Machado.

Segundo o deputado comunista, "há matérias de legalidade e devem ser avaliadas pela subcomissão de ética".

"Há sérias dúvidas relativamente ao estatuto dos deputados, seu regime de incompatibilidade e impedimentos a que estão obrigados, e também a violação do chamado período de nojo, segundo o qual titulares de cargos públicos, quando cessam funções, não podem exercer atividade nos ramos que tutelaram", afirmou.

Lusa

  • Samaris suspenso por três jogos

    Desporto

    O internacional grego do Benfica Samaris foi castigado com três jogos de suspensão pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, após ter sido instaurado um auto de flagrante delito por parte da Comissão de Instrutores.

    Em atualização

  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.