sicnot

Perfil

Economia

Novo Banco recua nos despedimentos

A administração do Novo Banco recuou, pelo menos para já, na decisão de avançar com um despedimento colectivo que abrangeria 500 trabalhadores. Em alternativa, vai abrir um programa de rescisões amigáveis.

© Rafael Marchante / Reuters

A informação foi avançada à SIC pelo Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira (Sintaf).

Cerca de uma centena de trabalhadores do Novo Banco estão neste momento reunidos em plenário para decidirem que medidas vão tomar na sequência da decisão da equipa de Stock da Cunha.

A decisão foi comunicada ontem aos trabalhadores e não afasta por completo o cenário de despedimentos. Ainda poderá ser ponderado caso os objetivos definidos para o programa de rescisões não sejam atingidos.

Contactada pela SIC, a Comissão de Trabalhadores do Novo Banco diz que é de assinalar o recuo na posição do banco. Ainda assim, considera que o processo de rescisões continua a traduzir-se em despedimentos encapotados.

Ao que a SIC apurou, a administração do Novo Banco quer abrir este programa de rescisões rapidamente e está convicta de que será suficiente para evitar o despedimento colectivo. O valor das indemnizações que serão propostas ainda não terá sido definido.

Última atualização às 17:44

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".