sicnot

Perfil

Economia

PS questiona Governo sobre futuro dos trabalhadores da Groundforce no Porto

O Partido Socialista anunciou hoje ter questionado o Governo sobre que papel terá a empresa de handling Groundforce nas alterações estratégicas da TAP e em que situação ficarão os funcionários do aeroporto do Porto.

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

"Em face das alterações estratégicas, anunciadas no quadro das rotas da TAP a partir do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, importa perceber o papel da Groundforce em todo este cenário e como fica a situação dos funcionários na escala do Porto face às mudanças que a TAP pretende efetuar", defende o PS em pergunta colocada sexta-feira ao Ministro do Planeamento e Infraestruturas.

No documento, subscrito por três deputados eleitos pelo círculo do Porto, o PS recorda que "a alienação da maioria do capital social da TAP ao Grupo Urbanos, consumada em 2012, colocou novas questões relativamente à gestão dos recursos humanos da empresa, tendo-se verificado inclusivamente várias greves".

"Os sindicatos que representam trabalhadores do sector do handling têm contestado fortemente a gestão da Urbanos, num contexto em que não existe acordo coletivo de trabalho para o setor", destacam os socialistas que por isso questionam "como estão representadas a TAP e a Urbanos no Conselho de Administração da Groundforce e qual o papel efetivo em matéria de tomada de decisões estratégicas por cada uma destas empresas".

Perguntam ainda se "existem garantias acrescidas relativamente às decisões quanto à participação da TAP do capital social da Groundforce" e se "os trabalhadores do handling que operam no Aeroporto Francisco Sá Carneiro serão de alguma forma afetados pela alteração estratégica da TAP em termos de voos para o estrangeiro".

Num requerimento enviado também na sexta-feira ao ministro Pedro Marques, os deputados do PS pedem mesmo para terem acesso ao "contrato que foi celebrado entre a TAP e o Grupo Urbanos e que titulou a alienação da maioria do capital social da Groundforce" bem como a "a toda a informação relativa a um negócio pouco transparente e que foi celebrado pelo anterior Governo".

"Importa conhecer um conjunto de documentação relativa à compra dos 50,1% do capital da SPDH - Serviços Portugueses de Handling", sustentam os deputados do Porto Fernando Jesus, Joana Lima e Tiago Barbosa Ribeiro.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.