sicnot

Perfil

Economia

PS questiona Governo sobre futuro dos trabalhadores da Groundforce no Porto

O Partido Socialista anunciou hoje ter questionado o Governo sobre que papel terá a empresa de handling Groundforce nas alterações estratégicas da TAP e em que situação ficarão os funcionários do aeroporto do Porto.

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

"Em face das alterações estratégicas, anunciadas no quadro das rotas da TAP a partir do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, importa perceber o papel da Groundforce em todo este cenário e como fica a situação dos funcionários na escala do Porto face às mudanças que a TAP pretende efetuar", defende o PS em pergunta colocada sexta-feira ao Ministro do Planeamento e Infraestruturas.

No documento, subscrito por três deputados eleitos pelo círculo do Porto, o PS recorda que "a alienação da maioria do capital social da TAP ao Grupo Urbanos, consumada em 2012, colocou novas questões relativamente à gestão dos recursos humanos da empresa, tendo-se verificado inclusivamente várias greves".

"Os sindicatos que representam trabalhadores do sector do handling têm contestado fortemente a gestão da Urbanos, num contexto em que não existe acordo coletivo de trabalho para o setor", destacam os socialistas que por isso questionam "como estão representadas a TAP e a Urbanos no Conselho de Administração da Groundforce e qual o papel efetivo em matéria de tomada de decisões estratégicas por cada uma destas empresas".

Perguntam ainda se "existem garantias acrescidas relativamente às decisões quanto à participação da TAP do capital social da Groundforce" e se "os trabalhadores do handling que operam no Aeroporto Francisco Sá Carneiro serão de alguma forma afetados pela alteração estratégica da TAP em termos de voos para o estrangeiro".

Num requerimento enviado também na sexta-feira ao ministro Pedro Marques, os deputados do PS pedem mesmo para terem acesso ao "contrato que foi celebrado entre a TAP e o Grupo Urbanos e que titulou a alienação da maioria do capital social da Groundforce" bem como a "a toda a informação relativa a um negócio pouco transparente e que foi celebrado pelo anterior Governo".

"Importa conhecer um conjunto de documentação relativa à compra dos 50,1% do capital da SPDH - Serviços Portugueses de Handling", sustentam os deputados do Porto Fernando Jesus, Joana Lima e Tiago Barbosa Ribeiro.

Lusa

  • "Até para o ano", a mensagem de Ronaldo para os adeptos do Real Madrid
  • Despenalização da eutanásia votada na terça-feira no Parlamento
    2:04
  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28

    Economia

    Com o crescimento do turismo, que continua a bater recordes, as companhias aéreas querem profissionais para reforçar as rotas com maior procura e oferecer novos destinos. Só a TAP prevê contratar mais 700 pessoas este ano para várias funções, incluindo 300 tripulantes de cabine e 170 pilotos.

  • O bombeiro herói que recebe 267 euros de pensão
    2:36
  • Funcionários dos EUA na Coreia do Norte para preparar cimeira
    2:19