sicnot

Perfil

Economia

Portugal escolhido como um dos sete centros de suporte empresarial da Microsoft

Portugal foi escolhido para receber um dos sete centros de suporte empresarial da Microsoft a nível mundial, disse hoje à Lusa o diretor-geral da Microsoft Portugal, João Couto.

© Mike Segar / Reuters

Este centro de suporte empresarial "de tecnologia de ponta 'cloud' já existia em Portugal e nós conseguimos triplicar de 80 para 240 pessoas", em quase dois anos, adiantou João Couto.

O facto de agora Portugal ter sido escolhido para receber um dos sete centros de suporte empresarial da Microsoft, num processo de consolidação, é "muito positivo", destacou o diretor-geral da subsidiária tecnológica portuguesa.

Anteriormente, havia 21 centros de suporte empresarial, que agora passam a sete.

Este centro de suporte da Microsoft vai apresentar serviços em tecnologia 'Cloud' - Office 365 e Azure -, que é a área que mais cresce no setor, para toda a Europa Ocidental e de Leste e África, de acordo com a empresa.

João Couto destacou a "importância a nível simbólico" da escolha de Portugal, já que "aumenta a expectativa de crescimento real do centro" e "reforça as competências de Portugal em 'nearshore' [transferência de processos para empresas de países próximos]".

Por outro lado, "Portugal pode dar cartas importantes nesta área, não só em tecnologias de informação como para a economia portuguesa", considerou.

O centro de suporte empresarial, localizado na sede da Microsoft Portugal, representa um investimento de 21 milhões de euros por parte da Microsoft Corporation.

O diretor-geral reforçou que este centro conta com "recursos humanos altamente qualificados em tecnologia de ponta".

Questionado sobre quantas pessoas podem vir a contratar, João Couto referiu que o plano de crescimento ainda está a ser "afinado".

"Conseguimos fazer crescer o centro ainda antes desta decisão" de escolha de Portugal como um dos sete centros de suporte, disse.

"É importante ter aqui um centro de competências, podemos não só ajudar a economia local, mas também o setor, no seu global" e criar "um setor exportador", salientou.

Em dezembro de 2013, a Microsoft contratou 25 técnicos altamente especializados, crescendo o centro da altura para 110 pessoas.

Entretanto, em julho de 2014, a tecnológica reforçou a equipa com mais 15 recém licenciados e, três meses depois, assinou um memorando de entendimento com a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e o Ministério da Economia, onde assumia o compromisso de aumentar o centro de suporte para 200 pessoas.

Atualmente, conta com 240 profissionais.

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efetivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21
  • Antigos quadros da Facebook declaram-se preocupados com efeitos da rede social

    Mundo

    Alguns dos antigos quadros da empresa Facebook estão a começar a exprimir sérias dúvidas sobre a rede social que ajudaram a criar, foi noticiado. A Facebook explora "uma vulnerabilidade na psicologia humana" para criar dependência entre os seus utilizadores, afirmou o primeiro presidente da empresa, Sean Parker, num fórum público.