sicnot

Perfil

Economia

Arménio Carlos rejeita política de baixos salários e defende combate à precariedade

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, reiterou hoje a aposta da central no combate à precariedade e rejeitou o modelo de baixos salários e de trabalho precário levado a cabo por algumas empresas.

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos. (Arquivo)

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos. (Arquivo)

MIGUEL A. LOPES / Lusa

"Nós não precisamos de mais precariedade nem de colocar os trabalhadores encostados à parede com uma espada e uma faca encostadas ao pescoço. Não é assim que se constrói o futuro nem se resolve o problema da precariedade em Portugal", afirmou Arménio Carlos.

O sindicalista, que falava em conferência no dia em que foi reconduzido no cargo de secretário-geral da CGTP, comentava as declarações do presidente da CIP -- Confederação Empresarial de Portugal, António Saraiva, que numa entrevista ao Diário Económico hoje publicada afirmou que "mais vale ter trabalho precário do que desemprego".

Estas declarações, segundo Arménio Carlos, "refletem o sentimento da CIP, que continua a apostar no modelo dos baixos salários e do trabalho precário".

"Não nos parece que haja emprego por esta via. Não precisamos, nem de mais precariedade, nem de teses das inevitabilidades, ou precariedade, ou desemprego. Não se pode admitir ter trabalhadores com sete, oito ou nove anos de trabalho numa empresa a recibos verdes", considerou o líder da Inter.

Esta solução, segundo Arménio Carlos, poderá agradar a algumas entidades patronais "porque é fácil, é barata e dá milhões".

A luta contra a precariedade laboral é uma das prioridades da CGTP para os próximos quatro anos, e que será intensificada no âmbito de uma campanha nacional a realizar durante este segundo mandato de Arménio Carlos.

Lusa

  • Ronaldo é o jogador que mais preocupa os marroquinos
    2:35
  • Recorda-se de Tahar? O ex-futebolista marroquino que já jogou em Portugal
    6:10
  • "Somos 11 milhões, queremos ser campeões e as russas são grandes canhões"
    3:54
  • Denis Cheryshev: o orgulho dos anfitriões

    Mundial 2018 / Rússia

    O avançado Denis Cheryshev foi eleito o Homem do Jogo entre Rússia e Egito, que os russos venceram por 3-1. Marcou o segundo golo dos anfitriões, o terceiro em nome próprio no Mundial e juntou-se a Cristiano Ronaldo no topo da lista de melhores marcadores. Aos 27 anos e a jogar o primeiro Mundial da carreira, Cheryshev continua a assumir-se como um dos principais rostos da esperança russa para o sucesso desta campanha. Depois de já ter sido o melhor em campo no triunfo sobre a Arábia Saudita, a nação anfitriã vê-o como uma espécie de porta-estandarte do orgulho russo na defesa da pátria.

  • Gato Achilles acerta no resultado do Rússia-Egito

    Desporto

    O gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. Depois de ter acertado na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita, o felino voltou a apostar na equipa certa, com os russos a vencerem esta terça-feira o Egipto por 3-1.

  • "Não tenho que debater nada com Bruno de Carvalho, só tenho que fazer cumprir os estatutos" 
    10:43
  • "Quando o Cristiano Ronaldo te convidar para almoçar, recusa"

    Desporto

    Na possibilidade de ser convidado por Cristiano Ronaldo para um almoço ou jantar, recuse. Este é o conselho de Patrice Evra, que revelou o "sofrimento" que passou quando aceitou almoçar em casa do capitão da seleção nacional, na altura em que ambos jogavam pelo Manchester United. O jogador francês falou sobre a comida "demasiado saudável" e o exercício que acabou por ter de fazer, enquanto podia estar a descansar.

    SIC

  • Ronaldo no País dos Sovietes: O espetáculo fora das quatro linhas
    2:30
  • "Quero ir com a minha tia", o desespero das crianças afastadas dos pais nos EUA
    2:11