sicnot

Perfil

Economia

BancoCTT abre ao público a 18 de março

Os CTT anunciaram esta segunda-feira que o BancoCTT abre a sua atividade ao público a 18 de março, sendo que irá abrir 52 lojas em simultâneo pelos 18 distritos de Portugal, nove das quais nas cidades de Lisboa e Porto.

Lusa

Lusa

Manuel Almeida

"Para assinalar o seu lançamento, o BancoCTT irá abrir ao público com 52 lojas em simultâneo, espalhadas pelos 18 distritos de Portugal, nove das quais nas cidades de Lisboa e Porto, e com uma forte presença nos canais digitais, através da disponibilização da 'App' [aplicação] BancoCTT, disponível para (os sistemas operativos) iOS e Android, e do serviço 'home banking'", referem os CTT.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os CTT adiantam que a nova entidade financeira "nasce da evolução natural do negócio de serviços financeiros já prestados" pelos Correios de Portugal, "assente numa proposta de valor de simplicidade, transparência e proximidade".

Num outro comunicado, os CTT adiantam que "a proximidade dos BancoCTT com os portugueses irá intensificar-se este ano e nos próximos, com a disponibilização de novos serviços digitais de maior conveniência e prevendo-se, ainda, que o banco quadruplique a sua rede, ultrapassando as 200 agências este ano e, nos próximos três anos, se afirme como uma das maiores redes bancárias do país".

As lojas CTT têm vindo a ser convertidas durante os últimos meses com novos equipamentos e sinalização.

"No mesmo período, foi efetuado um rigoroso e intenso processo de formação dos colaboradores das lojas CTT, em articulação com o Instituto de Formação Bancária", refere.

"Este é o dia que marca o reforço de uma das mais fortes vocações dos CTT: o relacionamento muito próximo e de utilidade e conveniência que sempre teve com os portugueses. Os clientes do BancoCTT irão encontrar neste banco clareza, simplicidade e disponibilidade. É um banco para todos. Para mim, como para a equipa que lidero, este será o início de uma história que se quer diferenciadora e sólida", afirmou o presidente dos CTT, Francisco de Lacerda, citado no comunicado.

Lusa

  • Governo quer reduzir gastos com papel na função pública
    1:08

    Economia

    O Governo proibiu a livre utilização das impressoras pelos funcionários públicos. O ministro das Finanças quer assim reduzir em 20% a despesa em consumo de papel e, ao mesmo tempo, minimizar a perigosidades dos resíduos produzidos com as impressoras, no Estado.