sicnot

Perfil

Economia

Portugal emite dívida com juros mais altos

ÚLTIMA HORA

Portugal colocou hoje 1.215 milhões de euros em Obrigações do Tesouro com maturidades de cinco e de dez anos às taxas de juro médias de 2,0326% e de 3,1380%, acima das verificadas nos anteriores leilões comparáveis.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

Segundo a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na agência Bloomberg, a cinco anos foram colocados 594 milhões de euros a uma taxa de juro média de 2,0326%, superior à de 1,423% registada no anterior leilão, de 22 de julho. A procura cifrou-se em 913 milhões de euros, 1,54 vezes o montante colocado.

No prazo de dez anos, o Tesouro colocou 621 milhões de euros a uma taxa de juro média de 3,1380%, também superior à de 2,42% verificada no anterior leilão de 25 de novembro. A procura atingiu 993 milhões de euros, 1,60 vezes superior ao montante colocado.

Na nota divulgada à comunicação social na semana passada, o IGCP anunciou a realização de dois leilões de Obrigações do Tesouro com maturidade de cinco e de dez anos, a 15 de abril de 2021 e 21 de julho de 2026, "com um montante indicativo global entre 1.000 milhões de euros e 1.250 milhões de euros".

No anterior leilão a cinco anos, que ocorreu a 22 de julho e que tinha um montante indicativo global entre os 1.000 milhões e os 1.250 milhões de euros, o IGCP colocou 900 milhões de euros a uma taxa de 1,423%.

Já no anterior leilão a dez anos, que ocorreu a 25 de novembro com um montante indicativo entre os 750 milhões e os 1.000 milhões de euros, Portugal colocou 995 milhões de euros a uma taxa de 2,42%.

O IGCP espera emitir, em termos brutos, 18.000 a 20.000 milhões de euros em dívida de médio e longo prazo em 2016, "combinando sindicatos e leilões" e assegurando "no mínimo" um leilão de Obrigações do Tesouro (OT) por trimestre.

Lusa

EM ATUALIZAÇÃO/Última atualização às 11:29

  • Isto não é não jornalismo. Por Ricardo Costa

    Opinião

    Uma das decisões mais banais e corriqueiras do jornalismo assenta nas escolhas que se fazem no dia a dia. Que temas se abordam, que destaque se dá a este ou aquele assunto, que ângulos de abordagem se usam. São opções condicionadas por uma série de fatores - que vão do interesse e da novidade até questões tão básicas como o haver ou não jornalistas com tempo, meios e conhecimentos para o fazerem -, que estão e estarão na base de qualquer dia de trabalho numa redação.

    Ricardo Costa

  • Marcelo não vai enviar recados ao Governo no discurso do 25 de Abril
    0:22

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa garante que não vai aproveitar o discurso do 25 de Abril para enviar recados ao Governo ou aos atores políticos. Em declarações à SIC, à margem da iniciativa "Escritores no Palácio de Belém", o Presidente da República explicou o que não vai dizer na intervenção de amanhã, na Assembleia da República.

  • Bruxelas multa Altice em 125 M€ devido à compra da PT

    Economia

    Os Serviços da Concorrência da Comissão Europeia decidiram multar a Altice em 125 milhões de euros no âmbito da compra da PT Portugal. Bruxelas avançou com a multa à Altice por ter começado a gerir a PT antes do negócio ter sido aprovado pela Comissão Europeia.

  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.