sicnot

Perfil

Economia

Siemens vai eliminar 2.500 empregos na divisão industrial

O grupo industrial e tecnológico alemão Siemens anunciou esta quarta-feira que vai suprimir 2.500 empregos na sua divisão industrial, 2000 dos quais na Alemanha, mas prevê contratar no futuro cerca de 25 mil pessoas por ano em novos setores.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Lukas Barth / Reuters

Em comunicado, a Siemens indicou que esta reorganização surge no quadro de uma transição para "uma empresa industrial digital" e que das futuras contratações 3000 serão na Alemanha.

Mas, numa primeira fase, a empresa, que tem um total de 348.000 funcionários, vai eliminar 2.500 empregos.

Segundo a Siemens, a redução de postos de trabalho será feita de forma socialmente responsável.

"O principal objetivo desta medida prevista é consolidar as atividades e otimizar a dimensão das fábricas de produção na Europa para melhorar a competitividade num mercado que continua a ser difícil", referiu a empresa.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26
  • Vulcão Etna em erupção
    1:34
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.