sicnot

Perfil

Economia

Siemens vai eliminar 2.500 empregos na divisão industrial

O grupo industrial e tecnológico alemão Siemens anunciou esta quarta-feira que vai suprimir 2.500 empregos na sua divisão industrial, 2000 dos quais na Alemanha, mas prevê contratar no futuro cerca de 25 mil pessoas por ano em novos setores.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Lukas Barth / Reuters

Em comunicado, a Siemens indicou que esta reorganização surge no quadro de uma transição para "uma empresa industrial digital" e que das futuras contratações 3000 serão na Alemanha.

Mas, numa primeira fase, a empresa, que tem um total de 348.000 funcionários, vai eliminar 2.500 empregos.

Segundo a Siemens, a redução de postos de trabalho será feita de forma socialmente responsável.

"O principal objetivo desta medida prevista é consolidar as atividades e otimizar a dimensão das fábricas de produção na Europa para melhorar a competitividade num mercado que continua a ser difícil", referiu a empresa.

Lusa

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.