sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida portuguesa a cair a pique depois do anúncio do BCE

EM ATUALIZAÇÃO

As taxas de juros da dívida portuguesa estão a recuar em todos os prazos, com a taxa a 10 anos a cair para baixo da barreira dos 3%, em reação às decisões hoje anunciadas pelo Banco Central Europeu (BCE).

Pelas 14:30, a taxa de juro da dívida pública portuguesa a dois anos recuava para 0,672% (0,706% na quarta-feira), a cinco anos baixava para 2,022% (2,040% na quarta-feira), e a 10 anos caía para 2,986% (3,147% na quarta-feira).

Esta tendência de descida estendeu-se a outros países europeus como Espanha, Irlanda, Itália e Grécia, e acentuou-se depois de o BCE ter anunciado que decidiu cortar todas as suas taxas de juro, passando a taxa diretora para 0%, um novo mínimo histórico, e de ter reforçado o programa de compra de ativos que lançou há um ano.

A taxa de juro diretora do BCE, aplicada às principais operações de refinanciamento, estava em 0,05% desde setembro de 2014.

Na reunião de hoje, o BCE reduziu também a taxa de juro aplicável à facilidade permanente de cedência de liquidez para 0,25%, um corte de cinco pontos base, e a taxa de depósitos passou de -0,30% para -0,40%, um corte de 10 pontos base.

O Conselho de Governadores do BCE decidiu também alargar o programa de compra de dívida lançado há ano e passou o volume mensal de 60 mil milhões de euros para 80 mil milhões de euros.

A instituição liderada por Mario Draghi vai também lançar a partir de junho quatro operações de refinanciamento de longo prazo, cada uma com uma maturidade de quatro anos.

Depois de terem sido anunciadas as principais decisões da reunião de hoje do BCE, o euro caiu face ao dólar e às 13:20 (hora de Lisboa) negociava abaixo de 1,09 dólares, tendo entretanto recuperado terreno e sendo negociado nos 1,1088 dólares pelas 15:00.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.