sicnot

Perfil

Economia

Agricultores querem medidas urgentes para salvar o setor

Os produtores de leite e carne entregaram hoje ao responsável de um supermercado do grupo Jerónimo Martins, em Matosinhos, um documento solicitando "medidas urgentes" para salvar o setor, num protesto contra "as práticas abusivas da grande distribuição".

ESTELA SILVA

A entrega deste documento surge no âmbito da manifestação que junta desde a manhã várias centenas de produtores, na sua maioria de leite e carne, e que agora se dirige para um hipermercado, desta vez do grupo Sonae, também em Matosinhos, onde os produtores pretendem entregar o mesmo documento.

O supermercado do grupo Jerónimo Martins fica situado na estrada Exterior da Circunvalação, a algumas centenas de metros das instalações da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, onde aos manifestantes se juntou um caravana de tratores - 300 segundo a organização -, que saíram de Vilar, Vila do Conde, em marcha lenta em direção a Matosinhos.

Frente ao supermercado, João Dinis, da direção da Confederação Nacional de Agricultura (CNA), que considerou já que esta é "a maior manifestação de sempre do setor no Porto", defendeu aos microfones do carro de som que encabeça a manifestação a reposição do sistema de quotas leiteiras na União Europeia e a redução das contribuições dos produtores para a Segurança Social como medidas urgentes para impedir o colapso do setor.

O presidente da Associação dos Produtores de Leite de Portugal, Carlos Neves, afirmou que o objetivo desta iniciativa é fazer com que a distribuição "se comprometa a comprar a produção portuguesa", assegurando que "atualmente, os agricultores estão a morrer no campo".

"Há muito tempo que estamos a sofrer em silêncio e tínhamos que gritar que é preciso salvar a agricultura em Portugal", frisou Carlos Neves.

O objetivo desta manifestação é "assinalar reclamações específicas perante as práticas comerciais abusivas" de que os produtores acusam as grandes superfícies comerciais e que, garantem, "têm contribuído para a grave crise que arrasa a pecuária nacional", nomeadamente os produtores de leite e carne.

Reclamando ser "indispensável a regulação legislativa e a fiscalização da atividade dos hipermercados", o setor reclama também ao Ministério da Agricultura e ao Governo que criem "condições para escoamento, a melhores preços à produção, dos produtos agroalimentares" nacionais, desde logo o leite e a carne, e ao mesmo tempo efetuem um "controlo severo das importações, como está a fazer a Espanha desde há meses".

Ainda exigido pelas organizações agrícolas é uma "retirada à produção (compra pública a preços compensadores) dos vitelos e das vacas já fora da produção leiteira", assim como a isenção temporária e "sem perda de direitos" do pagamento das contribuições mensais para a Segurança Social e o reembolso de parte do consumo da eletricidade verde.

Adicionalmente, o setor pretende um aumento da ajuda ligada à produção à vaca leiteira e a promoção do "consumo prioritário" da produção nacional nas cantinas públicas e dos mercados de proximidade.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.