sicnot

Perfil

Economia

Há mais de 150 milhões de euros em notas de escudo por trocar

Até ao final de 2015 existiam ainda 156,1 milhões de euros em notas de escudo por trocar, noticia o Público de hoje. Catorze anos após a introdução do euro em Portugal, ainda há milhões de notas de escudo válidas espalhadas por todo o lado

1992 - O Escudo passa a integrar o Sistema Monetário Europeu.

1992 - O Escudo passa a integrar o Sistema Monetário Europeu.

Quase 40% são notas de 5 mil escudos.

De acordo com o jornal Público, as principais causas para este número tão elevado são o colecionismo, o desconhecimento da possibilidade de troca e a saída de notas pela mão de turistas.

O prazo final para a troca de dinheiro termina em 2022, mas há exceções e algumas notas só se podem trocar até 2018.

  • A vila do Euro

    Perdidos e Achados

    Como será a vida depois do escudo e já com o euro a entrar na carteira dos portugueses? A pergunta foi feita há dez anos, em finais de 2001. A resposta veio de Arazede, durante um dia, transformada em Vila do Euro. A pequena localidade recebeu o desafio da SIC e entrou numa espécie de jogo para se perceber o que ia mudar. Importante, também, era perceber como iam os portugueses lidar com a moeda comum, depois de uma vivência de quase cem anos com o escudo.

  • Todos os distritos sob Aviso Amarelo devido ao frio

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou Portugal continental sob Aviso Amarelo na quarta e na quinta-feira. Os termómetros vão estar abaixo de zero em todo o território, à exceção dos distritos de Lisboa, Porto e Faro.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.