sicnot

Perfil

Economia

Morgan Stanley questiona previsões de Portugal e alerta para riscos da estabilidade governativa

O banco norte-americano Morgan Stanley questionou hoje as previsões económicas elaboradas pelo Governo português, alertando para os riscos da estabilidade governativa do país.

Num relatório enviado aos seus clientes, citado pela agência EFE, o Morgan Stanley sublinha que se o seu prognóstico se materializar e Portugal não cumprir com os seus objetivos de redução do défice, Bruxelas poderá exigir ao país ajustamentos adicionais, o que "colocaria o Executivo socialista sob pressão".

"O Governo minoritário de Portugal está preparado para aplicar medidas adicionais de austeridade no caso de uma derrapagem da sua trajetória orçamental, mas até que ponto conseguirá fazê-lo ao mesmo tempo que mantém o apoio dos partidos da extrema esquerda. Isso é algo que vamos ver", questionam os analistas do banco norte-americano.

Na sua opinião, "a falta de reformas no país está a tornar-se num fator preocupante" e ainda que a anulação gradual de várias medidas de austeridade "ajudará ao consumo", também poderá "pôr em perigo a melhoria da competitividade" registada em anos anteriores.

As projeções económicas da Morgan Stanley são mais pessimistas do que as do Governo português, já que estima uma subida do PIB para 2016 de 1,3%, cinco décimas abaixo das do Executivo.

Ao nível do défice público, que o Governo português se compromete a reduzir até aos 2,2% do PIB, o Morgan Stanley aponta para que se situará em torno dos 3%.

"Portugal está a caminhar num terreno incerto", é o título do relatório do banco norte-americano, com a instituição a esperar "que a recuperação continue" mas a um ritmo mais lento.

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Governo garante reforço das verbas para defesa da floresta até ao fim do ano
    2:37

    País

    O Governo rejeitou centenas de candidaturas com projetos para a prevenção de incêndios florestais, por falta de verbas. Perante a situação, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Agricultura sobre as reprovações. Contudo, contactado pela SIC, o ministro Capoulas Santos garantiu que o programa de desenvolvimento rural está a ser reajustado e, até ao final do ano, está previsto o reforço de verbas.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.