sicnot

Perfil

Economia

Energia e água lideram queixas à Deco em 2015

A Deco recebeu 700 mil queixas de consumidores no ano passado, mais 24% do que em 2014, e pela primeira vez o setor da energia e água liderou as queixas e ultrapassou o das telecomunicações.

© Aly Song / Reuters

Quase há 10 anos que o setor das telecomunicações registava o maior número de reclamações à Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - Deco, mas a devolução de cauções de água e eletricidade (indevidamente cobradas) e os processos de mudança de comercializador de energia motivaram no ano passado uma maior concentração de queixas.

"Este aumento deveu-se, em grande medida, aos 100 mil processos de devolução de caução. As reclamações nos setores mais reclamados continuaram a sê-lo em 2014, mas houve um acentuado aumento no setor da energia, nomeadamente sobre a mudança de comercializador", contou à Lusa Ana Sofia Ferreira, jurista da Deco.

Das 700 mil reclamações à Deco, 152.751 foram de energia e água, 50.353 de telecomunicações, 35.275 sobre compra e venda e 24.927 sobre o setor da banca e seguros.

A falta de transparência no processo de mudança de comercializador de energia, nomeadamente a dupla faturação, falta de informação, tempo excessivo para a efetivação da mudança, práticas comerciais desleais, e a devolução de cauções indevidamente cobradas são os principais motivos de reclamação à associação.

Só o processo de devolução de cauções dos serviços de energia e água foi responsável por 100 mil reclamações de portugueses à Deco, mas mesmo descontadas estas queixas o setor da energia e água continua a ser mais reclamado do que o das telecomunicações (mais 2.398 reclamações).

A jurista da Deco destaca que, dentro do setor mais reclamado, há "uma grande diferença" na quantidade de reclamações da energia face às da água: "A energia arrecadou mais de 49 mil queixas e a água 3.700".

No entanto, esclarece Ana Sofia Ferreira, nos 100 mil processos das cauções, a água teve uma importância muito grande, pois é no setor da água que muitos consumidores não têm conseguido receber a caução a que têm direito.

Em 2014, a Deco recebeu quase 550 mil queixas de consumidores, mais 9,5% do que em 2013, tendo sido o setor das telecomunicações, com quase 60 mil reclamações, o mais reclamado, também devido a problemas de dupla faturação, práticas agressivas ou enganosas dos comerciais, publicidade enganosa e a fidelização.

Ainda em 2014, e ao contrário de 2013, o segundo setor mais reclamado foi o da compra e venda (28 mil queixas), em especial por causa das vendas 'online', à distância e porta a porta.

As estatísticas da Deco foram divulgadas hoje, Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, que se celebra a 15 de março.

Lusa

  • Governo admite subir preço da água para promover a poupança
    3:48

    Economia

    O Governo admite aumentar o preço da água para promover a poupança, numa altura em que o país está em seca extrema. Contudo, a eficácia da medida está comprometida pelo menos no imediato. Qualquer mexida no preço só poderá acontecer em 2019 porque as tarifas do próximo ano já estão decididas.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • Cobra encontrada em comboio na Indonésia
    0:26

    Mundo

    Um passageiro usou as próprias mãos para retirar uma cobra que estava dentro de um comboio em Jacarta, na Indonésia. O vídeo foi gravado por um passageiro na passada terça-feira, 21 de novembro. A cobra estava na parte de cima da carruagem. Algumas testemunhas dizem que o réptil escapou da bagagem de um dos passageiros.

  • Pense bem antes de beijar um colega

    Mundo

    O tribunal da província espanhola de Huesca aceitou o pedido de indemnização de uma mulher que foi vítima de assédio sexual por parte de um colega de trabalho. A mulher terá pedido boleia ao colega que, dentro do carro, lhe passou a mão pelas pernas, mas não ficou por aí.

    SIC