sicnot

Perfil

Economia

Bloco de esquerda assume renegociação da dívida como "máxima importância"

A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, assumiu hoje que a renegociação da dívida pública "é um assunto da máxima importância" para o partido e que vai trabalhar no assunto com grupos de trabalho.

PAULO CUNHA

"A renegociação da dívida pública é, para o Bloco de Esquerda, um assunto da máxima importância para que o país tenha os recursos que precisa para investir e para criar emprego", afirmou Catarina Martins em Rabo de Peixe, concelho da Ribeira Grande, Açores.

A bloquista, que está hoje na ilha de São Miguel para duas sessões públicas que visam abordar o tema "O que quer o Bloco para os Açores?", garantiu que o partido vai começar a trabalhar na renegociação da dívida já na próxima semana com grupos de trabalho para o efeito.

"É um assunto que nós sabíamos que não seria abordado neste Orçamento do Estado, mas que sobre o qual nós vamos começar a trabalhar a partir da próxima semana. Começamos com grupos de trabalho em várias áreas, nas áreas centrais com o Governo do Partido Socialista e grupos de trabalho sobre" questões do emprego, do combate à pobreza e sobre o direito à habitação, exemplificou.

Catarina Martins sublinhou a importância de estudar o assunto, defendendo a ideia de que "quando um problema é grande não se deve varrê-lo para debaixo do tapete", mas antes "é preciso estudá-lo, é preciso conhecê-lo e ter propostas técnicas".

Para a porta-voz do BE, a renegociação da dívida pública é uma prioridade à semelhança do emprego, referindo sobre este último ser preciso "constituir os direitos do trabalho que a 'troika' destruiu e que não têm impacto orçamental, mas que têm um impacto tremendo na dignidade de quem vive do seu trabalho em Portugal".

Lusa

  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46