sicnot

Perfil

Economia

BCE sugere estímulo do investimento público em países como Portugal

O Banco Central Europeu (BCE) considera que o investimento público face ao Produto Interno Bruto (PIB) está na Europa em mínimos e sugere a alguns países, incluindo Portugal, que o estimulem, mas mediante uma cuidadosa seleção dos projetos.

(REUTERS/ ARQUIVO)

Num artigo no novo boletim económico do BCE, publicado esta segunda-feira, a instituição precisa que a seguir à Croácia, Portugal foi o país onde mais caiu o investimento público em relação ao PIB.

Liderada pela Croácia e Portugal, a lista onde o investimento público face ao PIB mais caiu fica completa com a Grécia, Espanha, Chipre e Irlanda, com todos os Estados incluídos a terem necessidades notáveis de consolidação orçamental e que foram penalizados pelos mercados.

No artigo no novo boletim económico do BCE, a instituição diz que "o investimento público na Europa caiu nos últimos anos, o que a leva a pedir para estimular o investimento público no atual ambiente de baixas taxas de juro".

"Desde a crise, o investimento público caiu numa série de países europeus, particularmente naqueles que estiveram pressionados pelos mercados", referem os autores do estudo Marien Ferdinandusse, Alessandro Giovannini e Ígor Vetlov.

Em contrapartida, na Bélgica, Alemanha e Áustria, que tinham níveis relativamente baixos de investimento público antes da crise, o investimento público face ao PIB não caiu nem aumentou.

O investimento público face ao PIB aumentou nalguns países do Leste da União Europeia (UE), que beneficiaram com os fundos de coesão devido à integração como a Letónia, Polónia, Roménia e Bulgária.

O BCE adverte que se se mantiverem os baixos níveis de investimento público durante um período de tempo prolongado pode produzir-se uma deterioração do capital público e uma diminuição da produção a longo prazo.

Um acréscimo do investimento público financiado com dívida tem efeitos positivos na procura com pouco efeito na taxa de endividamento se os projetos de investimento forem selecionados com cuidado, segundo os autores, que usaram modelos de simulação para os cálculos.

Estimular o investimento público é uma forma de aumentar a procura a curto prazo e a produção potencial.

Contudo, o BCE recorda que as posições orçamentais de muitos países da UE continuam a ser precárias e o Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) exigem uma maior consolidação orçamental em muitos destes países.

Em nove países da UE, designadamente Bulgária, Alemanha, Espanha, França, Itália, Luxemburgo, Polónia, Eslováquia e Reino Unido, garantiram cerca de 43.000 milhões de euros para cofinanciar projetos do Fundo Europeu de Investimento Estratégico para mobilizar investimento privado, mas nenhum contribuiu diretamente para o capital do fundo.

O denominado Plano Juncker é um pacote de medidas para gerar entre 2015 e 2017 investimento público e privado na economia real por, pelo menos, 315.000 milhões de euros, 2% do PIB da UE em 2015.

O investimento público e privado caiu nos anos posteriores à crise financeira e à crise da dívida soberana.

Lusa

  • "Sinto-me como quem leva uma sova monumental"
    0:30
  • Temperaturas vão subir até 4ª feira

    País

    As temperaturas vão subir até esta quarta-feira, prevendo-se máximas entre os 22 e os 29 graus na generalidade do território, valores acima do normal para a época do ano, adiantou hoje a meteorologista Maria João Frada.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Equipa responsável por renovação da Proteção Civil ainda não é conhecida
    2:45

    País

    A constituição da unidade de missão que deverá entrar esta segunda-feira em funções para concretizar a reforma dos sistemas de prevenção e combate a incêndios ainda não é conhecida. A equipa de trabalho anunciada por António Costa será responsável por pôr de pé o novo sistema de Proteção Civil, aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de sábado.

  • "Quero unir o PSD depois de o clarificar"
    1:17
  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.