sicnot

Perfil

Economia

Montepio, Corticeira Amorim e Sonae Capital entram no PSI20

A Corticeira Amorim, o Montepio e a Sonae Capital passam, a partir de hoje, a integrar o principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, tendo sido excluídas a Impresa e a Teixeira Duarte.

O PSI20 passa assim a contar com 18 cotadas, segundo as alterações que fazem parte da revisão anual do índice, anunciadas pela Nyse Euronext no início do mês.

A partir de hoje, o setor financeiro passa a ter três cotadas, com o Montepio a juntar-se ao BPI e ao BCP, sendo que a Sonae Capital se junta à sua casa-mãe, a Sonae SGPS.

A Teixeira Duarte e a Impresa, que voltarão para o índice geral, tinham sido promovidas ao PSI20 no início de 2014.

Até agora, o PSI20 era composto por 17 cotadas: EDP, EDP Renováveis, Galp, REN, Jerónimo Martins, Teixeira Duarte, Mota-Engil, NOS, Pharol, Sonae SGPS, Semapa, Portucel, Altri Impresa, CTT, BCP e BPI.

A 23 de dezembro de 2015, os títulos do Banif deixaram de integrar o principal índice da bolsa portuguesa, na sequência da alienação do banco no contexto da medida de resolução anunciada pelo Governo e pelo Banco de Portugal.

Antes, em agosto de 2014, após a resolução do Banco Espírito Santo (BES), a Euronext tomou a mesma decisão em relação as ações do banco.

E um mês antes esta situação já tinha ocorrido com a Espírito Santo Financial Group (ESFG), quer era a principal acionista do BES.

A composição do PSI20 é revista trimestralmente (março, junho, setembro e dezembro).

Lusa

  • Madrid suspende governo regional da Catalunha

    Mundo

    O chefe do Governo espanhol anunciou hoje que decidiu acionar o artigo 155º da Constituição espanhola e pedir ao Senado a suspensão das funções do governo regional da Catalunha. Em conferência de imprensa justificou a adoção das medidas dada a "desobediência rebelde, sistemática e consciente" do Governo regional (Generalitat).

    Em atualização

  • Manifestações contra os incêndios um pouco por todo o país
    1:33

    País

    Estão marcadas para esta tarde várias manifestações contra os incêndios e as políticas florestais, mas também de homenagem às vítimas dos fogos que arrasaram o país. As iniciativas de protesto são quase todas organizadas através das redes sociais e por grupos de cidadãos.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.