sicnot

Perfil

Economia

CGTP elogia reposição dos feriados mas exige 25 dias úteis de férias

A CGTP considerou hoje que a reposição dos quatro feriados, eliminados em 2012, é uma "medida de justiça social", mas voltou a exigir a restituição dos 25 dias úteis de férias e a revogação das leis laborais recentes.

Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP.

Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP.

In\303\241cio Rosa

Em comunicado hoje emitido, a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - CGTP afirma que a reposição dos feriados já este ano "é o resultado prático da luta desenvolvida pelos trabalhadores e trabalhadoras nos últimos anos" e "vem demonstrar que os compromissos eleitorais podem e devem ser cumpridos".

Para a CGTP, esta decisão "contrasta com situações anteriores de promessas eleitorais que rapidamente não só foram esquecidas como traídas após a chegada de alguns desses partidos ao Governo".

O primeiro-ministro assinalou hoje o reposição dos quatro feriados nacionais que foram suspensos em 2012, no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal (PAEF): dois feriados civis (5 de Outubro e 1.º de Dezembro) e dois religiosos (Corpo de Deus e Todos dos Santos).

A CGTP defende que estes feriados agora repostos "têm um significado histórico, político e/ou religioso por serem datas marcantes do país, da nossa identidade, cultura e valores históricos", os quais "não devem ser espezinhados pelo mero cálculo económico-financeiro".

"A recuperação dos feriados vem mostrar, mais uma vez, que não há inevitabilidades e que vale a pena continuar a lutar pela valorização do trabalho e a dignificação dos trabalhadores, indissociáveis de uma efetiva mudança de política", afirma a central sindical.

No entanto, a CGTP voltou a referir outras exigências que continuam a estar na lista das reivindicações da central sindical, recordando "a importância da restituição dos 25 dias de férias e a revogação das alterações da legislação laboral ocorridas nos últimos anos".

Para a CGTP, estas alterações laborais "eliminaram ou enfraqueceram direitos individuais e coletivos dos trabalhadores" e, por isso, "a correção dessas injustiças impõe-se com igual força e o quanto antes".

Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.