sicnot

Perfil

Economia

CGTP elogia reposição dos feriados mas exige 25 dias úteis de férias

A CGTP considerou hoje que a reposição dos quatro feriados, eliminados em 2012, é uma "medida de justiça social", mas voltou a exigir a restituição dos 25 dias úteis de férias e a revogação das leis laborais recentes.

Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP.

Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP.

In\303\241cio Rosa

Em comunicado hoje emitido, a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - CGTP afirma que a reposição dos feriados já este ano "é o resultado prático da luta desenvolvida pelos trabalhadores e trabalhadoras nos últimos anos" e "vem demonstrar que os compromissos eleitorais podem e devem ser cumpridos".

Para a CGTP, esta decisão "contrasta com situações anteriores de promessas eleitorais que rapidamente não só foram esquecidas como traídas após a chegada de alguns desses partidos ao Governo".

O primeiro-ministro assinalou hoje o reposição dos quatro feriados nacionais que foram suspensos em 2012, no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal (PAEF): dois feriados civis (5 de Outubro e 1.º de Dezembro) e dois religiosos (Corpo de Deus e Todos dos Santos).

A CGTP defende que estes feriados agora repostos "têm um significado histórico, político e/ou religioso por serem datas marcantes do país, da nossa identidade, cultura e valores históricos", os quais "não devem ser espezinhados pelo mero cálculo económico-financeiro".

"A recuperação dos feriados vem mostrar, mais uma vez, que não há inevitabilidades e que vale a pena continuar a lutar pela valorização do trabalho e a dignificação dos trabalhadores, indissociáveis de uma efetiva mudança de política", afirma a central sindical.

No entanto, a CGTP voltou a referir outras exigências que continuam a estar na lista das reivindicações da central sindical, recordando "a importância da restituição dos 25 dias de férias e a revogação das alterações da legislação laboral ocorridas nos últimos anos".

Para a CGTP, estas alterações laborais "eliminaram ou enfraqueceram direitos individuais e coletivos dos trabalhadores" e, por isso, "a correção dessas injustiças impõe-se com igual força e o quanto antes".

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Este foi provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • Fogos na Califórnia provocaram 42 mortos e perdas acima de mil milhões de dólares

    Mundo

    O comissário dos seguros da Califórnia afirmou esta quinta-feira que as perdas provocadas pelos incêndios que dizimaram extensas áreas deste Estado norte-americano excedem os mil milhões de dólares (844 milhões de euros). Estes incêndios, que começaram no condado de Sonoma County, já provocaram a morte a 42 pessoas no mês de outubro.

  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC