sicnot

Perfil

Economia

IBM inaugura centro em Viseu e cria 120 postos de trabalho

O presidente da IBM Portugal, António Raposo Lima, anunciou hoje que o novo centro de trabalho e competências da SoftINSA deverá ser inaugurado em Viseu ainda este ano, criando cerca de 120 postos de trabalho de caráter tecnológico.

© NIR ELIAS / Reuters

"O protocolo hoje assinado representa um compromisso de cooperação e parceria com a autarquia de Viseu, Instituto Politécnico de Viseu e SoftINSA, empresa do grupo IBM, e tem como objetivo a instalação e operação de um centro de inovação e tecnologia em Viseu, que estamos todos cientes terá, com certeza, êxito. Prevê-se que este novo centro seja inaugurado ainda este ano", alegou.

Durante a cerimónia de assinatura do acordo de cooperação para a instalação do novo Centro de Trabalho e Competências da SoftINSA em Viseu, António Raposo Lima sublinhou que o processo de recrutamento de pessoal irá privilegiar os licenciados do Instituto Politécnico de Viseu.

"Prevê-se, no seu pleno funcionamento, a criação de cerca de 120 postos de trabalho de caráter tecnológico", acrescentou.

Ao longo da sua intervenção, o responsável da IBM Portugal explicou que a assinatura do protocolo "visa também fomentar o desenvolvimento e a implementação de soluções tecnológicas inovadoras, incluindo designadamente a área das cidades inteligentes".

"Sempre que tal seja viável, o nosso desígnio é que a cidade de Viseu e o seu concelho atuem como um laboratório vivo, que permita testar funcionalidades e adaptabilidade de soluções de cidades inteligentes à realidade local", referiu.

No seu entender, o novo centro trará uma contribuição decisiva para o desenvolvimento de Viseu e, consequentemente, para o crescimento do país".

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, aproveitou a ocasião para recordar que a sua primeira prioridade passa por colocar Viseu no mapa e na rota do investimento económico.

"Viseu não quer ser um concelho-donuts, que não atrai nem cria condições para radicar empresas, investimentos e atividades e as remete para as suas periferias. Dois anos e meio depois, acredito que demos um salto quântico na imagem e na atratividade económica de Viseu, que se traduziu em novos investimentos, mas também na expansão e promoção de outros que já cá estavam", justificou.

Almeida Henriques destacou a relevância do acordo de investimento hoje selado, que o leva a acreditar que abrirá um novo ciclo na economia da cidade-região, posicionando Viseu como uma das primeiras smart cities do país.

"Acredito que este projeto, mais cedo que tarde, arrastará outros projetos e outras oportunidades", concluiu.

A nova unidade da SoftINSA será instalada no parque empresarial de Coimbrões, em Viseu.

Lusa

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.