sicnot

Perfil

Economia

Arrow recusa ter tido benefícios fiscais diretamente ou através de subsidiárias

A empresa Arrow Global, que contratou a ex-ministra Maria Luís Albuquerque como administradora não executiva, disse hoje que não beneficiou em Portugal de qualquer isenção de impostos ou benefícios fiscais, quer diretamente, quer através de subsidiárias.

Maria Luís Albuquerque, ex-ministra das Finanças.

Maria Luís Albuquerque, ex-ministra das Finanças.

© Rafael Marchante / Reuters

"Nem a Arrow Global nem nenhuma das suas subsidiárias portuguesas receberam benefícios fiscais contratuais em Portugal", refere a empresa numa declaração escrita hoje divulgada, a propósito da polémica relacionada com a contratação da ex-ministra e agora deputada pelo PSD.

Os deputados de PS, PCP e BE pediram hoje esclarecimentos adicionais sobre outras empresas que integram o grupo financeiro britânico Arrow Global, depois de hoje à tarde a subcomissão de Ética da Comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias se ter reunido à porta fechada para ouvir a antiga governante sobre a sua nova situação profissional, tendo a própria informado os seus pares de mais empresas do conglomerado de gestão de créditos.

"Na sequência do que foi transmitido, vamos solicitar mais informações complementares, nomeadamente quanto à possibilidade de identificação do universo de empresas abrangidas pelo grupo", afirmou o socialista Pedro Delgado Alves.

PCP e BE também anunciaram que vão solicitar mais informações sobre outras empresas do grupo Arrow Global no âmbito da subcomissão de ética.

A deputada Maria Luís Albuquerque não prestou declarações à comunicação social depois da audição na subcomissão de ética.

Lusa

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01