sicnot

Perfil

Economia

Governo francês pressiona Peugeot com a alta renumeração de Carlos Tavares

O Governo francês insistiu hoje na pressão sobre Carlos Tavares, presidente do grupo automóvel PSA Peugeot Citroen, de que o Estado é acionista de referência, pela remuneração de 5,24 milhões de euros recebida em 2015, o dobro de 2014.

© Pascal Rossignol / Reuters

Numa entrevista à estação RTL, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, disse lamentar o aumento da remuneração de Carlos Tavares, que "não corresponde à realidade em que vivem os assalariados".

"Carlos Tavares é um grande patrão", reconheceu Valls, sublinhando que a gestão do português à frente do fabricante de automóveis permitiu a recuperação do grupo, mas "também à custa dos funcionários".

Na opinião do primeiro-ministro gaulês, a elite francesa deverá ter em conta o descontentamento social que se vive, advertindo que qualquer gesto que não seja exemplar "é um mau sinal".

Os 5,24 milhões de euros de remuneração desdobram-se em 1,3 milhões de salário fixo, 1,93 milhões de euros de rendimentos variáveis e 130.000 ações do grupo, valoradas atualmente em 2,01 milhões de euros.

Lusa

  • Salário de português à frente da Peugeot-Citroën gera polémica em França
    1:25

    Economia

    Carlos Tavares é o presidente da Peugeot-Citroën e, no ano passado, viu o salário duplicar para mais de 5 milhões de euros ao ano, incluindo os prémios a que teve direito. O Governo francês já criticou o salário do presidente da empresa francesa, que dá uma soma de quase 15 mil euros por dia. Perante os lucros do ano passado, os trabalhadores da empresa querem também aumentos salariais.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.