sicnot

Perfil

Economia

Governo francês pressiona Peugeot com a alta renumeração de Carlos Tavares

O Governo francês insistiu hoje na pressão sobre Carlos Tavares, presidente do grupo automóvel PSA Peugeot Citroen, de que o Estado é acionista de referência, pela remuneração de 5,24 milhões de euros recebida em 2015, o dobro de 2014.

© Pascal Rossignol / Reuters

Numa entrevista à estação RTL, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, disse lamentar o aumento da remuneração de Carlos Tavares, que "não corresponde à realidade em que vivem os assalariados".

"Carlos Tavares é um grande patrão", reconheceu Valls, sublinhando que a gestão do português à frente do fabricante de automóveis permitiu a recuperação do grupo, mas "também à custa dos funcionários".

Na opinião do primeiro-ministro gaulês, a elite francesa deverá ter em conta o descontentamento social que se vive, advertindo que qualquer gesto que não seja exemplar "é um mau sinal".

Os 5,24 milhões de euros de remuneração desdobram-se em 1,3 milhões de salário fixo, 1,93 milhões de euros de rendimentos variáveis e 130.000 ações do grupo, valoradas atualmente em 2,01 milhões de euros.

Lusa

  • Salário de português à frente da Peugeot-Citroën gera polémica em França
    1:25

    Economia

    Carlos Tavares é o presidente da Peugeot-Citroën e, no ano passado, viu o salário duplicar para mais de 5 milhões de euros ao ano, incluindo os prémios a que teve direito. O Governo francês já criticou o salário do presidente da empresa francesa, que dá uma soma de quase 15 mil euros por dia. Perante os lucros do ano passado, os trabalhadores da empresa querem também aumentos salariais.

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.

  • "Estar na Web Summit foi dizer em empreendedorês: estamos vivos, estamos aqui!"

    Web Summit

    No seguimento da entrevista à blogger Sara Riobom, que conhecemos durante a WebSummit, trazemos a história de outro jovem português (que não trabalha sozinho) que esteve no evento, em Lisboa, a promover a sua startup. Quis o acaso e as peripécias do direto e do destino que acabasse por receber um visitante ilustre e especial no seu stand: nada mais nada menos do que o primeiro-ministro, António Costa. Recentemente estiveram no Shark Tank, onde conseguiram captar a atenção de um dos “tubarões” do programa da SIC. Mas o que queremos saber é…

    Martim Mariano