sicnot

Perfil

Economia

Governo quer avaliar reforma do IRS para introduzir alterações em 2017

O Governo quer avaliar, a partir de junho, as alterações nas deduções introduzidas em 2015 com a Reforma do IRS, bem como a criação de novos escalões, para introduzir eventuais alterações no imposto no Orçamento do Estado para 2017.

"Eu acho que os próximos meses são de avaliação da Reforma do IRS [Imposto sobre o Rendimento de pessoas Singulares]", nomeadamente no que diz respeito às despesas com educação e saúde, quer com as deduções que acontecem por pedido de fatura, afirmou hoje o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, numa conferência em Lisboa.

O objetivo é "perceber se o sistema que foi criado permite que as pessoas consigam efetivamente fazer essas deduções", uma vez que o Ministério das Finanças verificou várias queixas dos contribuintes quanto a faturas que não estavam registadas e de despesas que não eram consideradas.

Por outro lado, o executivo socialista pretende saber também se "a complexidade administrativa que é gerada com estas deduções é justificada pelas finalidades que são atingidas".

"É uma avaliação para a qual partimos sem preconceitos. A reforma foi feita, devemos deixar que a reforma funcione até ao fim, e apenas no final fazer a avaliação", que começará a ser feita a partir de junho, quando terminarem todos os prazos para a entrega das declarações de IRS, disse o secretário de Estado.

Essa avaliação deve estar concluída a tempo de serem incluídas eventuais alterações ao IRS no Orçamento do Estado para 2017, acrescentou.

O Governo vai começar a avaliar também a alteração dos escalões de IRS em 2017, revisão com a qual o executivo já se tinha comprometido no Programa de Governo.

"Eu creio que todos nós percebemos qual é o problema nos atuais escalões: os dois enormes pulos que acontecem do primeiro para o segundo escalão e do segundo para o terceiro", afirmou Rocha Andrade, considerando ser "assustador" que logo acima dos "7.000 euros de rendimento tributável a taxa marginal de imposto seja de 28,5%".

As taxas de imposto da tabela atual (publicada com o Orçamento do Estado 2016) são a taxa mínima normal de 14,50% para rendimento coletável até 7.035 euros por ano, 28,5% entre esse valor e 20.100 euros, 37% entre esse valor e 40.200, 45% acima desse valor e até 80.000 por ano e, por fim, 48% para rendimentos acima desse valor.

Por outro lado, o secretário de Estado recusou "um enorme potencial de receita em aumentar as taxas marginais do último escalão para os 70 e tal por cento", admitindo que gostaria de ver a taxa mais elevada nos 49%, "simbolicamente", mas que, "em termos práticos, se for 50 ou 55% é fundamentalmente o mesmo porque essa taxa marginal tem um impacto muito pouco significativo".

Apesar de não considerar necessário criar uma nova comissão para avaliar a Reforma do IRS, Rocha Andrade disse ainda que para a reintrodução do imposto sucessório será criado um "grupo de trabalho clássico, um misto de pessoas do interior e do exterior da administração fiscal".

Lusa

  • Período de entrega do IRS começa amanhã
    1:38

    Economia

    Começa amanhã o período de entrega das declarações de IRS pela internet para trabalhadores dependentes e pensionistas. Os trabalhadores independentes devem entregar as declarações durante o mês de maio.

  • Chuva deixa em alerta 12 distritos do continente

    País

    Doze distritos do continente estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de chuva, que pode ser pontualmente forte e acompanhada por trovoadas e granizo, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • A experiência de um embaixador português na Coreia do Norte
    2:58

    País

    A Coreia do Norte tem o maior orçamento militar do mundo e o seu arsenal nuclear acaba por dar-lhe acesso a uma possível cimeira com os Estados Unidos. A pobreza e o culto da personalidade foram testemunhados pelo embaixador, José Manuel de Jesus, que visitou várias vezes Pyongyang.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.