sicnot

Perfil

Economia

FMI pessimista diz que crescimento de Portugal será de 1,4% do PIB

O FMI é ainda mais pessimista do que o Banco de Portugal e aponta para um crescimento de apenas 1,4% do PIB este ano. Enquanto isso, a instituição liderada por Carlos Costa, acredita que será 1,5%.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Kim Kyung Hoon / Reuters

O Governo colocou no Orçamento do Estado uma previsão de subida do crescimento económico para 1,8%.

Valor que volta a ser apontado pelas instituições internas e externas como muito otimista.

No relatório agora divulgado e que faz o balanço da terceira visita depois de terminado o programa de resgate, o FMI destaca ainda o valor do défice, que no passado fixou-se nos 4,4%, muito acima dos 2,7% previstos inicialmente.

Ainda assim são assinalados aspetos positivos como a estabilização da economia, apesar de desafios consideráveis, como o elevado nível da dívida, pública e empresarial.

O relatório deixa por isso uma sugestão: o Governo deve continuar a adotar políticas e reformas prudentes, algumas entretanto revertidas pela mudança de política mas necessárias para garantir a sustentabilidade das finanças públicas.

.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.