sicnot

Perfil

Economia

Uber assegura que cumpre "todas as obrigações fiscais"

O serviço de transporte privado Uber assegurou hoje que cumpre "com todas as suas obrigações fiscais" exigidas pelo Estado português e que só estabelece parcerias com operadores licenciados por institutos do Governo.

"Em Portugal, a Uber estabelece parcerias apenas com operadores licenciados por institutos do Governo Português e, de acordo com a lei portuguesa, a Uber e os seus parceiros cumprem com todas as suas obrigações fiscais", lê-se numa nota enviada à agência Lusa.

A Uber divulgou esta posição depois de a Antral -Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros e a FPT - Federação Portuguesa do Táxi a terem acusado de operar ilegalmente em Portugal.

"A Uber não tem seguro de transporte de pessoas. Fazem um transporte clandestino. Se algum dia houver um problema grave, os seguros não pagam. Alguns funcionários têm segurança social, outros não. O Governo tem de colocar legalidade em todo este sistema", disse Florêncio Almeida, presidente da Antral, em conferência de imprensa, acrescentando que a Uber "não paga impostos a ninguém".

Na nota, a Uber afirma ainda que todas as viagens feitas através deste serviço "dão lugar à emissão de fatura eletrónica onde é discriminado o valor do IVA, e que todas as viagens pedidas na plataforma da Uber estão cobertas por exigentes seguros comerciais para transporte de passageiros."

A Uber diz que tem participado "construtivamente" em conversações com o Governo "para que os portugueses possam beneficiar com a abertura da mobilidade a novas tecnologias e modelos de negócio, através de uma regulação que tenha em conta os interesses do consumidor e as especificidades de cada serviço".

"Uma mobilidade melhor não será alcançada bloqueando o desenvolvimento tecnológico", frisa a Uber, acrescentando que a "abertura à inovação é fundamental para que o setor da mobilidade possa melhorar e modernizar-se como um todo, trazendo benefícios a passageiros, operadores e condutores e às cidades portuguesas".

Na conferência de imprensa, a Antral e a FPT anunciaram que vão promover uma semana de luta para pressionar o Governo a suspender a atividade da Uber.

Frisando que "[os taxistas] não são contra a Uber, mas sim contra o modo" como esta plataforma está no mercado, o presidente da Antral explicou que pretendem apenas que aquela trabalhe de forma legal.

Por seu lado, o presidente da FPT, Carlos Ramos, propôs que a Uber, depois de legalizada, passe a distribuir serviços para os táxis.

  • Taxistas prometem continuar a lutar contra a Uber
    1:47

    Economia

    A Federação Portuguesa do Táxi e a ANTRAL discutiram o apoio de 17 milhões de euros para a modernização do setor. As medidas apresentadas pelo Governo foram aprovadas, mas os taxistas prometem continuar a protestar pela suspensão da atividade da Uber em Portugal. As associações do setor estão a estudar novas formas de luta já para o final do mês.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.