sicnot

Perfil

Economia

Comissão de ética emite parecer sobre ex-ministra das Finanças sexta-feira

O Governo já remeteu ao parlamento a nova documentação requerida por PS, BE e PCP sobre empresas do grupo financeiro britânico Arrow Global, que contratou a deputada do PSD e ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque.

© Hugo Correia / Reuters

Segundo o presidente da subcomissão de ética da Comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, o social-democrata e também ex-ministro Marques Guedes, as informações do gabinete do Ministério das Finanças chegaram à Assembleia da República terça-feira, depois das 20:30, e só hoje distribuídas aos partidos, pela manhã.

"Como o deputado-relator [o também parlamentar do PSD Paulo Rios de Oliveira] disse ter condições para apresentar o parecer ainda hoje, uma vez que o trabalho está adiantado, ficou marcada a sua discussão e votação para sexta-feira, pelas 8:30", disse Marques Guedes à Lusa.

A subcomissão de ética tinha ouvido Maria Luís Albuquerque quinta-feira, já depois de ter recebido informações do executivo socialista relativamente a quatro companhias detidas pelo conglomerado de gestão de crédito.

Segundo as diversas entidades estatais contactadas, duas daquelas quatro empresas do Arrow Global gozaram de benefícios fiscais regulares: White Star Asset Solutions (404.228,88 euros) e Gesphone (19.200,11 euros), a título de "majoração à criação de emprego" e "crédito fiscal extraordinário ao investimento", entre 2011 e 2015.

As incompatibilidades previstas na legislação referem-se a titulares de altos cargos públicos com responsabilidades num determinado setor de atividade, num prazo de três anos e apenas nos casos em que as empresas ou entidades tenham sido privatizadas ou contempladas com apoios ou benefícios fiscais diretos do Estado que não os automaticamente atribuídos como estímulo ao emprego ou ao investimento, por exemplo.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.