sicnot

Perfil

Economia

Bloco de Esquerda quer repor os 25 dias de férias

Bloco de Esquerda quer repor os 25 dias de férias

O Bloco de Esquerda quer repor os 25 dias de férias para todos os trabalhadores, setor privado incluído, retirados pelo anterior Governo PSD/CDS. Os bloquistas dizem ter grande expectativa de que a nova maioria de esquerda possa aprovar este diploma.

"Já houve em Portugal 25 dias de férias até à alteração que a direita fez em 2012. Entendemos que é preciso recuperar esse direito, mas como direito e não majoração", afirmou o parlamentar bloquista, em conferência de imprensa, no parlamento, adiantando existir "grande expectativa de que a maioria do parlamento venha a repor" este regime, à semelhança do sucedido com os feriados suspensos e entretanto recuperados.

Em 2012, alterações ao Código do Trabalho estipularam 22 dias como o número mínimo de dias de férias aumentados em três (em caso de uma só falta), em dois (para trabalhadores que faltassem duas vezes) e em um para quem tivesse tido três faltas.

"Para dar um exemplo, se o meu cônjuge morresse e eu gozasse os cinco dias a que tenho direito isso era considerado uma falha na assiduidade e eu perdia o direito à majoração das férias. Ora, quando nos morre um ente querido, nós não estamos a ter uma falha na assiduidade, estamos a exercer um direito que não depende da nossa vontade e não é uma circunstância feliz", argumentou José Soeiro, citando casos de interpretação abusiva da majoração de férias relacionados com faltas justificadas.

Segundo o deputado do BE, "nos últimos anos, vingou a visão segundo a qual a eliminação de feriados e redução de dias de férias seria o caminho para o emprego e a economia", mas não houve "nenhum ganho de produtividade ou efeito positivo no desemprego".

"Como é sabido, Portugal é um dos países na Europa em que se trabalha mais. Se tivermos em conta o número de horas de trabalho por ano, temos mais 500 horas em média do que a Alemanha. Se tivermos em conta horas não remuneradas, Portugal está no topo, com mais de nove", insistiu.

  • "Não partilhei SMS com ninguém"
    0:43

    Caso CGD

    António Domingues afirma que nunca revelou o conteúdo das mensagens trocadas com o ministro das Finanças sobre a entrega das declarações de património ao Tribunal Constitucional. O tema dos SMS foi abordado pelo ex-presidente da Caixa na sequência de uma pergunta do PCP sobre declarações feitas por António lobo Xavier no programa da SIC Notícias "Quadratura do Círculo".

  • "As regras europeias de bem estar animal são dogmas", diz diretor-geral de Veterinária
    1:32

    País

    O diretor-geral de Alimentação e Veterinária considera que as regras de bem estar animal que existem na União Europeia (UE) "parecem configurar uma transfiguração antropomórfica dos animais". Em declarações à SIC, a propósito da exportação de animais vivos para países terceiros, que têm outras regras de abate, Fernando Bernardo defendeu ainda que o método usado em Israel provoca uma insensibilização mais rápida do que o praticada na UE.

  • PAN questiona Governo sobre aposta na exportação de animais vivos para o Médio Oriente
    1:56

    País

    O partido Pessoas-Animais-Natureza lembra que à luz do Regulamento nº. 1/2005 do Conselho Europeu, os estados-membros da União Europeia (UE) devem evitar transportar animais vivos em viagens de longo curso. O deputado André Silva considera, por isso, que "o Estado português está a incumprir o regulamento" ao fomentar estas viagens, numa clara aposta económica em torno da exportação de animais vivos para Israel e outros destinos fora da UE. Para o deputado do PAN, é muito difícil ou "mesmo impossível assegurar o bem estar dos animais" em viagens de vários dias.

  • Trump pensou que presidência "seria mais fácil"

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos Donald Trump afirmou que a Presidência é mais difícil do que pensava e que tem saudades da vida que levava antes, em entrevistas a propósito dos primeiros 100 dias em funções.