sicnot

Perfil

Economia

Poupança das famílias melhora pelo segundo mês consecutivo

A poupança das famílias melhorou pelo segundo mês consecutivo em março, para os 61,6 pontos, superando o valor médio registado em 2015, segundo o indicador da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património (APFIPP), da Universidade Católica.

EPA

Em fevereiro tinha subido para os 55,7 pontos, depois de em janeiro ter registado 54,4 pontos.

A Universidade Católica refere que a atualização global do indicador teve "um impacto positivo muito ligeiro na tendência de poupança das famílias em percentagem do PIB", medida pela variação trimestral da série analisada, que continua muito próxima dos -0,1 pontos percentuais do PIB por trimestre.

"Isto significa que, em termos agregados, as famílias têm diminuído a sua taxa de poupança em cerca de 0,1 pontos percentuais do PIB em cada trimestre desde meados de 2014", explica.

O indicador de março inclui os dados das Contas Nacionais Trimestrais por setor institucional relativos ao quarto trimestre de 2015, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e uma revisão marginal em baixa da estimativa para o PIB do primeiro trimestre de 2016.

O indicador inclui os dados do INE (já de acordo com o novo Sistema Europeu de Contas, o SEC2010, e com a nova base 2011) e da poupança financeira do Banco de Portugal.

O indicador de poupança assumiu o valor 100 no último trimestre de 2000 quando a taxa de poupança foi de cerca de 8% do PIB.

Assim, cada 12,5 pontos do indicador representam cerca de 1,0% do PIB. Quando o indicador atinge o valor 125, a poupança das famílias é cerca de 10% do produto.

Lusa

  • Junta de Santa Maria Maior no centro de Lisboa contra despejos de idosos
    3:02
  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.