sicnot

Perfil

Economia

Preço do gás natural deverá baixar em maio

O regulador da energia propõe uma descida de 18,5% das tarifas transitórias de gás natural aplicadas aos clientes domésticos e pequenos comércios que se mantêm no mercado regulado, que se fará em duas fases. A primeira em maio e a segunda em julho.

Regis Duvignau / Reuters

Neste escalão estão os consumidores finais que têm um consumo anual inferior ou igual a 10.000 metros cúbicos.

De acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), a descida das tarifas irá fazer-se em duas fases: a 1 de maio deverá ocorrer uma descida de 6,1% face ao valor que tinha entrado em vigor em julho de 2015, seguindo-se nova descida, de 13,3%, a 1 de julho.

Para os clientes em baixa tensão, com consumo acima dos 10.000 metros cúbicos por ano, a redução proposta é de 21,1% (7,5% em maio e de 14,6% em junho) e para os de média tensão a redução nas proposta é de 28,4% (10,2% em maio e de 20,2% em julho) - não há tarifas para os grandes consumos que estão já em mercado liberalizado.

A primeira variação reflete o efeito da variação do preço do gás natural, influenciado pela descida do preço do petróleo, e a segunda reflete a variação dos custos associados às tarifas de acesso, explicou o presidente da ERSE, Vítor Santos.

Em conferência de imprensa, Vítor Santos realçou que esta descida das tarifas de gás natural "vai contribuir para aumentar a competitividade das empresas, em que o gás natural tem um peso importante na sua estrutura de custos".

Segundo os dados do regulador do setor energético, um milhão de consumidores de gás natural está no mercado liberalizado e cerca de 400 mil consumidores permanecem no mercado regulado, sendo abrangidos pelas tarifas transitórias agora propostas.

Já a tarifa social, que abrange as famílias economicamente vulneráveis, que vigora entre julho de 2016 e junho de 2017, integra um desconto de 31,2% face às tarifas transitórias.

Este é o segundo ano em que existe uma taxa de variação negativa das tarifas acumuladas, realçou o responsável, explicando que, em termos acumulados, nos dois últimos anos, a redução tarifária será de 24,5% para os clientes domésticos.

A proposta da ERSE para a descida de 1 de julho será levada a conselho tarifário, que tomará a decisão final até 15 de junho.

Lusa

  • Deco lança novo leilão de energia

    Economia

    Na procura de melhores preços para os consumidores no mercado liberalizado da energia, a Deco lança um novo leilão de energia. Vai ser no dia 21 de abril. Abrange todos os tipos de tarifários de eletricidade, gás natural ou pacotes de oferta conjunta, mas o consumidor terá a liberdade de poder optar por apenas um dos serviços.

  • "Sobre este pântano, não é possível jogar futebol seriamente na próxima época"
    4:46

    Opinião

    David Borges esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, da SIC Notícias, onde analisou as acusações do FC Porto ao Benfica, no caso dos e-mails. O comentador da SIC disse que falta saber se "tudo é verdade" e se os documentos são verdadeiros, o que compete ao Ministério Público apurar. David Borges defendeu ainda que era "bom" que a investigação decorresse de forma rápida e profunda; e não acredita que perante a polémica, se consiga jogar "futebol seriamente", na próxima época.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.