sicnot

Perfil

Economia

João Salgueiro propõe fusão do Novo Banco com o BCP

João Salgueiro propõe fusão do Novo Banco com o BCP

João Salgueiro diz que o veículo de resolução de crédito malparado, proposto por António Costa, não resolve o problema de fundo. Em entrevista à TSF, o antigo ministro das Finanças diz que há alternativa à venda do banco e propõe uma fusão com o BCP.

  • Passos Coelho diz que crédito malparado não é urgente
    0:50

    Economia

    Pedro Passos Coelho diz que o crédito malparado não é uma questão urgente, uma vez que o sistema financeiro tem capacidade para emprestar dinheiro à economia. Confrontado com a proposta do primeiro-ministro para a criação de um veículo para o crédito malparado, o líder do PSD diz que é prematuro opinar sobre hipóteses teóricas.

  • Primeiro-ministro garante que contribuintes não vão pagar solução para o crédito malparado
    1:59

    Economia

    O primeiro-ministro garante que não vão ser os contribuintes a pagar a criação de um banco mau para limpar o lixo da banca. O debate quinzenal ficou marcado por este tema, depois de António Costa ter admitido que quer criar um veículo que retire dos bancos os créditos em risco ou incobráveis. O Bloco de Esquerda avisa que não aceitará que a limpeza da banca se torne num encargo para os contribuintes.

  • Governo lança linha de crédito de 100 M€ para empresas situadas no interior

    País

    As políticas de valorização do interior, tema escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, abriram o debate quinzenal na Assembleia da República. O primeiro-ministro anunciou que o Governo vai lançar uma linha de crédito de 100 milhões de euros destinada exclusivamente a pequenas e microempresas empresas situadas no interior, a par da reprogramação do Portugal 20/20.

    Direto

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.