sicnot

Perfil

Economia

Doze dos 20 navios da Transtejo estão imobilizados

O Grupo Transtejo, responsável pelas ligações fluviais entre a margem sul e Lisboa, esclareceu hoje que tem 12 dos seus 30 navios imobilizados, mas assegurou que cumpre todas as certificações necessárias.

O Grupo Transtejo adianta, em comunicado, que, das 12 embarcações imobilizadas, "oito estão em manutenção, sendo expetável que, nas próximas semanas, três desses navios regressem ao serviço".

O PCP, através dos deputados eleitos por Setúbal, questionou o Governo sobre a situação da empresa, frisando que, devido à falta de trabalhadores e "constrangimentos operacionais", existem serviços que não são efetuados.

"São cancelados, em média, seis serviços por dia na Transtejo e seis por semana na Soflusa", referem os deputados, acrescentando que se regista uma "grande imobilização de embarcações".

"Na Transtejo, é quase na ordem dos 50 por cento, em consequência da falta de manutenção da frota, das avarias não resolvidas e da falta de renovação dos certificados de navegabilidade. Isto provoca a supressão de cada vez mais carreiras, com claros prejuízos para os utentes", acrescentam.

Os deputados questionaram o Governo sobre que medidas estão consideradas para a "adoção urgente de [um] plano de modernização" da frota da Transtejo e Soflusa e implementação de um plano de manutenção que devolva a fiabilidade à operação.

O Grupo Transtejo, que engloba as empresas Transtejo e Soflusa, explica que existem quatro navios imobilizados por estarem em processo de obtenção de novo certificado de navegabilidade.

"Estavam envolvidos no anterior processo de alienação, entretanto suspenso, por isso não podiam ser considerados parte da frota disponível", adianta.

A empresa refere que que está empenhada no plano de manutenção, garantindo que dispõem de todas as certificações necessárias às intervenções que realizam na frota.

Lusa

  • Escritor e filólogo Frederico Lourenço distinguido com o Prémio Pessoa 2016

    Cultura

    O escritor, tradutor, professor universitário Frederico Lourenço foi distinguido com o Prémio Pessoa 2016. O anúncio foi feito hoje pelo presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, no Palácio de Seteais, em Sintra, sublinhando que a atividade de Frederico Lourenço tem como "traço singular" ter oferecido "à língua portuguesa as grandes obras de literatura clássica".

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Explosão no Cairo faz seis mortos

    Mundo

    Seis pessoas morreram hoje numa explosão junto a um posto de controlo da polícia no Cairo, indicaram os meios de comunicação social e responsáveis egípcios.