sicnot

Perfil

Economia

Portugal está abaixo da média dos países europeus na aplicação da poupança

Portugal está abaixo da média dos países europeus na proatividade da aplicação da poupança e na recolha de informação independente na escolha de produtos financeiros, segundo as primeiras conclusões de um estudo da OCDE sobre formação financeira.

A Rede Internacional de Educação Financeira (INFE, na sigla em inglês), da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), divulgou hoje os resultados preliminares (de 17 países) de um inquérito à literacia financeira realizado em 2015 em mais de 20 países, incluindo Portugal.

"Os resultados para Portugal relacionados com a proatividade na aplicação da poupança (37%) estão abaixo da média dos países europeus, devido à propensão para deixar o dinheiro na conta de depósitos à ordem", informa o Banco de Portugal, que faz parte da INFE.

Também "ligeiramente abaixo da média dos países europeus surge o recurso a informação independente na escolha de produtos financeiros (6,0%), revelando preferência pelo aconselhamento ao balcão", escreve o BdP.

Portugal surge também abaixo da média dos países europeus "na indicação de o rendimento não ter sido suficiente para cobrir o custo de vida nos últimos 12 meses (35%)".

Acima da média dos países europeus no que respeita ao conhecimento dos conceitos de inflação e de diversificação de risco: 87% mostram saber o que é a inflação (média de 79% nos países europeus) e 73% compreendem que a diversificação da carteira de ações quando investem no mercado de capitais contribui para a redução do risco (média de 63% nos países europeus);

Portugal surge também "ligeiramente acima da média nas questões sobre comportamentos financeiros estão o pagamento atempado de contas (81%) e o facto de os inquiridos não indicarem a necessidade de recurso ao crédito para fazerem face às despesas quotidianas (84%)".

Por fim, o Banco de Portugal destaca que os resultados para Portugal estão acima da média dos países europeus em nove de 12 questões relacionadas com comportamentos financeiros.

Cerca de "72% dos entrevistados em Portugal referem fazer um orçamento familiar (média de 63% nos países europeus), 82% analisaram algum tipo de informação antes de contratarem um produto financeiro (média de 49% nos países europeus) e 79% afirmam controlar sistematicamente as suas finanças pessoais (média de 71% nos países europeus)", exemplifica o banco central.

Os resultados globais deste inquérito internacional realizado pela INFE deverão ser publicados em outubro.

A International Network on Financial Education foi criada, em 2008, sob a égide da OCDE para promover princípios e boas práticas de formação financeira.

Lusa

  • Nunca mais
    9:16