sicnot

Perfil

Economia

Governo recorre ao Plano Juncker para injetar capital nas empresas

O Governo quer lançar, até ao início de 2017, dois fundos para capitalizar PME e empresas em processo de reestruturação, num total de dois mil milhões de euros, dos quais 1,4 mil milhões financiados pelo Plano Juncker.

REUTERS

Segundo o Programa Nacional de Reformas, hoje aprovado no Conselho de Ministros, o Fundo Capitalizar -- Crescimento e Inovação, destina-se ao financiamento de "instrumentos de capitalização de empresas em fase de criação, crescimento, inovação e internacionalização" e deverá abranger 8.150 Pequenas e Médias Empresas (PME), estimando-se um aumento de 1.700 milhões de euros nos capitais próprios nas PME.

Os concursos para seleção dos instrumentos financeiros serão lançados no segundo trimestre de 2016 e implementados a partir do terceiro trimestre.

Já o Fundo Capitalizar -- Reestruturação e Crescimento visa apoiar a capitalização de empresas em processos de reestruturação, prevendo-se que atinja 1.100 empresas, permitindo um aumento de 1.080 milhões de euros nos capitais próprios.

O lançamento deste Fundo vai começar a ser preparado no segundo trimestre de 2016, devendo o processo estar concluído até ao final deste ano.

De acordo com a calendarização do Governo, os instrumentos financeiros devem começar a ser implementados no primeiro trimestre de 2017.

Lusa

  • Governo quer que as mulheres assumam 40% dos cargos executivos até 2020
    0:27

    Economia

    O Governo pretende que as mulheres assumam 40% dos cargos executivos das empresas cotadas em bolsa até 2020. A medida anunciada esta tarde pelo ministro adjunto no Parlamento faz parte de um pacote de regras para a igualdade de género que contemplam a existência de quotas aplicadas primeiro no setor público, depois no setor empresarial do Estado e só depois no privado.

  • Gasóleo profissional mais barato nas fronteiras
    3:11

    Economia

    Para evitar o abastecimento de combustível em Espanha, o Governo decidiu reduzir o preço do gasóleo profissional para transportadoras em postos de combustíveis em três zonas de fronteira, uma experiência que vai decorrer durante seis meses. Ainda este ano, as transportadoras vão também pagar menos nas antigas SCUT. A Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas considera que a descida do ISP vai fazer com que muitas empresas passem a abastecer em Portugal.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47