sicnot

Perfil

Economia

Ministro apela à compra de carne de porco nacional para resolver crise

O ministro da Agricultura apelou hoje à indústria, à grande distribuição e aos consumidores portugueses para comprarem carne de porco nacional, como forma de ajudarem a resolver a crise no setor da suinicultura em Portugal.

"Gostaria de fazer um apelo muito veemente à indústria portuguesa e à grande distribuição", a qual "distribui a carne que adquire na indústria e é a indústria que abate e transforma os animais e a indústria, que, naturalmente, de acordo com as regras do mercado único, pode comprar em todo o espaço europeu, mas acho que, neste contexto, tem também um papel a desempenhar na resolução desta crise", disse Luís Capoulas Santos.

Segundo o ministro, que falava aos jornalistas após ter participado na sessão de abertura da feira de agropecuária Ovibeja, "a crise no setor da suinicultura é europeia, mas naquilo que diz respeito aos produtores portugueses é um problema português e têm de ser os portugueses a resolvê-lo".

"O Governo, naturalmente, e, por isso, estamos a lançar medidas, mas há um papel muito importante por parte dos consumidores", que, "se preferirem a carne portuguesa, ajudarão a resolver o problema", disse.

Agora, os consumidores portugueses "vão poder fazer essa escolha" por carne portuguesa, disse, lembrando que o Conselho de Ministros aprovou hoje o decreto-lei que torna obrigatória a rotulagem de carnes frescas, refrigeradas e congeladas de suíno, ovino, caprino e aves com a identificação do país de origem ou do local de proveniência e das substâncias que possam causar alergias.

Desta forma, "os consumidores portugueses também podem ajudar o setor, porque, assim, passam a poder distinguir qual é carne portuguesa e a estrangeira e será uma opção e estou certo que os portugueses não deixarão de testemunhar a sua solidariedade, preferindo aquilo que é português e inequívoca e reconhecidamente de qualidade", frisou.

"Mas, naturalmente que é fundamental que a indústria também adquira carne em Portugal, apesar de, de acordo com as regras do mercado único, que não podemos alterar, ninguém poder impor a ninguém onde é que compra este ou aquele produto, até porque nós portugueses também queremos colocar os nossos produtos nesses países europeus", sublinhou.

Em Portugal, no caso dos suínos, "apenas produzimos metade das nossas necessidades, portanto, é perfeitamente possível à indústria adquirir lá fora, porque terá sempre de fazê-lo, mas uma vez escoada a produção nacional como é evidente", defendeu.

Capoulas Santos transmitiu "uma palavra de compressão e de solidariedade" para com os suinicultores, pelos quais se tem "vindo a bater em Bruxelas e internamente para encontrar mecanismos que possam aliviar a situação difícil que atravessam" e lembrou que, perante a crise no setor, "o Governo português não ficou parado e, neste momento, é o único que avançou com medidas nacionais" para os apoiar.

Quanto às medidas, o ministro, além do diploma da rotulagem obrigatória da carne hoje aprovado, disse que já estão aprovados e entrarão em vigor "dentro de poucos dias" os descontos de 50% nas contribuições para a Segurança Social de todos os suinicultores e respetivos trabalhadores, até ao final deste ano.

As linhas de crédito "de 20 milhões de euros com um ano de carência, uma a três anos para acudir a problemas e tesouraria e outra a seis anos para acudir a problemas de desendividamento", deverão estar disponíveis "dentro de duas a três semanas", acrescentou.

Em relação aos protestos de suinicultores, o ministro disse compreender a sua existência,

"Não posso dizer que concordo com a forma como alguns estão a ser levados a cabo, mas compreendo a sua existência", porque "são produtores que estão a perder dinheiro há muitos meses e estiveram silenciosos durante muito tempo", afirmou.

Lusa

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC