sicnot

Perfil

Economia

Mitsubishi investigada por manipulação de dados

Funcionários do Ministério dos Transportes japonês visitaram hoje as oficinas da Mitsubishi Motors para abrir uma investigação, após ter sido revelado que a empresa manipulou dados sobre o consumo de combustível de alguns dos seus modelos.

© Issei Kato / Reuters

O pessoal do ministério visitou o centro técnico de Okazaki para realizar uma primeira inspeção in loco, segundo a emissora pública japonesa NHK.

O canal também informou que a administração fixou um prazo, até ao próximo dia 27, para que a empresa apresente um relatório sobre a manipulação de dados, cujo verdadeiro alcance ainda se desconhece.

Foi também pedido a outras empresas do setor relatórios sobre os métodos utilizados nos testes de eficiência, perante a possibilidade de existirem mais irregularidades.

O caso contribui para piorar a reputação do setor, após o escândalo de manipulação de emissões da Volkswagen, que incluiu um software em 11 milhões de carros diesel para manipular os dados dos testes das emissões de gases poluentes.

A Mitsubishi Motors admitiu que os seus funcionários modificaram a pressão de ar dos pneus durante os testes para avaliar o consumo de quatro modelos de míni-veículos (carros com motores de menos de 660 centímetros cúbicos), dos quais se venderam cerca de 625 mil unidades no Japão.

Como resultado, estes veículos (a maioria, 468 mil, foram comercializados pela também japonesa Nissan Motor) foram vendidos sob a falsa garantia de que o seu consumo era entre 5 a 10 por cento mais eficiente do que era na realidade.

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05