sicnot

Perfil

Economia

Venezuela vai racionar eletricidade em dez estados

A Venezuela vai racionar a eletricidade em dez dos seus estados mais populosos e industrializados, incluindo em Caracas, anunciou na quarta-feira o Governo.

© Marco Bello / Reuters

Esta é a mais recente medida para atenuar a crise de eletricidade, pela qual o Presidente Nicolas Maduro e o seu Governo responsabilizam o fenómeno meteorológico "El Niño", mas que os críticos dizem ser resultado de má gestão económica.

Luis Motta Dominguez, ministro da Energia Elétrica, anunciou a medida durante uma emissão televisiva e remeteu pormenores para mais tarde.

A economia da Venezuela está em queda, bem como os preços do petróleo, do qual o país depende.

A falta de medicamentos e bens básicos, como papel higiénico ou óleo alimentar, é generalizada.

Na semana passada, o Governo anunciou uma mudança do fuso horário, adiantando 30 minutos, para poupar energia.

Outras medidas incluem dar aos funcionários públicos um dia de folga extra nos próximos dois meses.

Maduro sugeriu ainda que as mulheres venezuelanas deviam deixar de usar secadores de cabelo.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50