sicnot

Perfil

Economia

Mitsubishi também manipulou dados de um modelo elétrico

O fabricante automóvel japonês Mitsubishi Motors também manipulou dados sobre o consumo do seu automóvel elétrico iMiEV e pode tê-lo feito noutros quatro modelos, escreve hoje o jornal Sankei.

© Yuya Shino / Reuters

A falsificação dos dados pode também estender-se aos monovolumes todo-o-terreno RVR, Montero, Outlander e ao míni-veículo elétrico Minicab-MiEV, segundo revelou fonte próxima do caso ao jornal.

A Mitsubishi Motors admitiu na quarta-feira que os seus funcionários modificaram a pressão de ar dos pneus durante os testes para avaliar o consumo de combustível de quatro modelos de míni-veículos (carros com motores de menos de 660 centímetros cúbicos), dos quais cerca de 625 mil unidades foram vendidas no Japão.

Como resultado, estes veículos (a maioria dos quais, 468 mil, foram comercializados pela também japonesa Nissan Motor) foram vendidos sob a falsa garantia de que o seu consumo era 5 a 10 por cento mais eficiente do que era na realidade.

Os testes foram também realizados com critérios que não estão homologados pelo Governo japonês desde 2002.

O caso contribuiu para piorar a reputação do setor, após o escândalo de manipulação de emissões poluentes da Volkswagen em 11 milhões de carros a diesel.

Lusa

  • Rui Santos revela novos e-mails que envolvem o Benfica
    1:52
    Tempo Extra

    Tempo Extra

    3ª FEIRA 23:00

    No programa da SIC Notícias Tempo Extra, Rui Santos revelou esta terça-feira que o blogue de Hugo Gil, associado ao Benfica, partilhou informação privilegiada da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) com várias figuras do clube da Luz.

  • "É preciso namorar bem para que o namoro dê certo"
    2:31
  • Governo vai proibir refeições nos monumentos com estatuto de panteão
    0:53

    País

    O Governo vai acabar com as refeições no Panteão Nacional e em edifícios com estatuto semelhante, como os mosteiros dos Jerónimos e da Batalha. A decisão foi anunciada esta terça-feira pelo ministro da Cultura, no Parlamento. Luís Filipe Castro Mendes esclareceu que a decisão surge no âmbito da revisão do regulamento sobre os monumentos.

  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14