sicnot

Perfil

Economia

Presidente do Eurogrupo adia comentários sobre situação orçamental portuguesa

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, adiou para o próximo mês comentários sobre a situação orçamental portuguesa, alegando que o processo desenrola-se entre o Estado-membro e a Comissão Europeia.

(arquivo)

(arquivo)

© Francois Lenoir / Reuters


Em Amesterdão, quando questionado se estava otimista depois da apresentação dos dados do défice e programas de estabilidade e reformas, o responsável repetiu que a situação "será avaliada no próximo mês".

"A preparação decorre entre o Estado-membro e a Comissão Europeia e eles vão dizer-nos mais nos próximos meses", resumiu Dijsselbloem à entrada para a reunião informal dos ministros da zona euro, na qual marcará presença, por Portugal, o secretário de Estado Adjunto, do Tesouro e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix.

O executivo português tem até ao final do mês para entregar em Bruxelas os programas, enquanto na quinta-feira, o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia confirmou que o país terminou 2015 com um défice de 4,4% do PIB, e uma dívida pública de 129%, contabilizando os custos da medida de resolução aplicada ao Banif.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, voltou a afastar a necessidade de o Governo apresentar em breve medidas adicionais face à execução orçamental deste ano.

O governante frisou que a próxima avaliação dos procedimentos por défice excessivo (PDE), em Bruxelas, terá como base de análise o conjunto dos anos entre 2013 e 2015. "O ajustamento estrutural é para esse horizonte temporal. O cumprimento dos limites de défices nominais é só por si relevante - e todos sabem a opinião do Governo sobre a avaliação da saída do PDE em 2015", disse.

Portugal está fora da agenda do encontro informal desta manhã do Eurgrupo, que deverá ser dominado pela Grécia.

  • Veja o Programa Nacional de Reformas

    Economia

    O Governo deve aprovar hoje em Conselho de Ministros o Programas Nacional de Reformas, a aplicar até 2020. O plano envolve um investimento de cerca de 12.500 milhões de euros (entre 10.500 milhões de euros do Portugal 2020 e 2.000 milhões do Plano Juncker). Veja aqui o documento na íntegra.

  • Principais medidas do Plano Nacional de Reformas
    2:31

    Economia

    A par do Plano de Estabilidade, o Plano Nacional de Reformas é um dos dois documentos que define o rumo do país nos próximos anos, com as grandes opções estratégicas como, por exemplo, a forma de aplicar o dinheiro que vem da Europa. Foi aprovado hoje pelo Governo e prevê alterações profundas durante os próximos anos. A prioridade é aumentar o salário mínimo nacional, ajudar os desempregados e canalizar mais dinheiro para a educação e a saúde.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.