sicnot

Perfil

Economia

BP perde 517 milhões de euros devido à volatilidade do preço do petróleo

A petrolífera BP informou hoje que registou perdas de 517 milhões de euros (583 milhões de dólares) no primeiro trimestre do ano devido à volatilidade do preço do crude.

© Whitney Curtis / Reuters

Em comunicado enviado hoje à Bolsa de Valores de Londres, a BP assinalou que as perdas contrastam com os 2.307 milhões de euros (2.602 milhões de dólares) obtidos no primeiro trimestre de 2015, quando o preço do barril do petróleo rondava os 54 dólares.

De acordo com a imprensa, o crude cotizou no primeiro trimestre deste ano em torno dos 34 dólares o barril, o que compara com os 44 dólares dos três últimos meses de 2015.

A companhia, que publica os seus resultados em dólares por ser a divisa na qual é cotizado o petróleo, assinalou que no primeiro trimestre de 2016 as perdas antes de impostos foram de 767 milhões de euros (865 milhões de dólares) frente aos 2.020 milhões de euros (2.276 milhões de dólares) de lucros obtidos nos três primeiros meses de 2015.

Os lucros da BP também foram afetados pela crise no setor petrolífero ao faturar 34.771 milhões de euros (39.166 milhões de dólares) no primeiro trimestre de 2016 frente aos 49.932 milhões de euros (56.243 milhões de dólares) no mesmo período do ano passado.

A dívida financeira da empresa a 31 de março passado situava-se nos 3.941 milhões de euros (4.440 milhões de dólares).

  • Eduardo Cabrita nomeado ministro da Administração Interna

    País

    O primeiro-ministro propôs esta quarta-feira ao Presidente da República a nomeação de Eduardo Cabrita para o cargo de ministro da Administração Interna e de Pedro Siza Vieira para ministro Adjunto do primeiro-ministro. A tomada de posse realiza-se no sábado às 09:00.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08