sicnot

Perfil

Economia

Moody's considera "improvável" que tribunais declarem ilegalidade da resolução do BES

A agência de notação financeira Moody's considera "improvável" que a resolução do BES seja declarada ilegal pelos tribunais, tal como pretendem alguns investidores, pelo que não deve afetar os detentores de obrigações hipotecárias.

(Reuters/Arquivo)

Num comentário sobre o impacto das decisões judiciais relativas ao Banco Espírito Santo (BES) para os detentores de obrigações hipotecárias do Novo Banco, a Moody's entende, com base na informação disponível e nas opiniões dos especialistas, que é "improvável" que a resolução do BES venha a ser declarada ilegal e mesmo que isso aconteça não deverá afetar os direitos dos detentores de obrigações hipotecárias.

O Banco de Portugal aplicou em agosto uma medida de resolução ao Banco Espírito Santo (BES) que implicou a transferência da maioria dos seus ativos e passivos para um "banco mau", uma decisão que está a ser contestada em tribunal por um grupo de investidores.

Estes credores reclamam que a resolução seja declarada ilegal e o regresso dos ativos ao BES, o que implicaria, segundo a análise da Moody's, que os detentores das obrigações hipotecárias (títulos garantidos por hipotecas) perdessem prioridade no que diz respeito aos pagamentos.

Segundo a agência de notação financeira, os argumentos que os investidores irão possivelmente usar -- a medida de resolução viola direitos constitucionais ou a medida de resolução não cumpriu o previsto na lei -- não serão acolhidos pelos tribunais, caso seja invocado o interesse público e sejam dadas compensações.

"Mesmo se o tribunal considerar que a medida de resolução foi ilegal, é provável que seja atribuída uma compensação aos queixosos em alternativa à anulação", refere a Moody's.

Lusa

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • "Não se pode voltar atrás, o povo de Deus confirmou a necessidade deste Papa"
    3:15
  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.