sicnot

Perfil

Economia

Lucro do Santander em Portugal aumenta 121% após compra do Banif

O grupo Santander anunciou hoje lucros de 121 milhões de euros em Portugal no primeiro trimestre do ano, mais 121% face a 2015, e referiu o "impacto positivo em toda a conta da incorporação da atividade do Banif".

Mark Lennihan/ AP

Numa comunicação ao mercado espanhol, o banco destaca que "o lucro atribuído do primeiro trimestre é de 121 milhões de euros, mais do dobro do que obtido até março do ano passado (+121%)", e aponta "o impacto positivo ao longo de toda a conta da incorporação da atividade do Banif", que o Santander comprou no ano passado por cerca de 150 milhões de euros.

"O conjunto das margens de juros e das comissões cresceram 30%, enquanto os custos subiram 25%", realçou o Santander, acrescentando uma outra razão para a subida dos lucros.

"Adicionalmente, as receitas reforçaram-se com os resultados de operações financeiras originados na venda de carteiras", salientou.

As dotações para insolvências, apesar do maior perímetro, "aumentaram unicamente em 2%, com o custo do crédito a melhorar para os 0,28%".

Comparando com o quarto trimestre do ano passado, "em que os resultados obtidos em vendas de dívida pública foram muito elevados, o lucro aumenta em 1%".

A margem bruta do Santander em Portugal alcançou os 337 milhões de euros no primeiro trimestre (mais 41,5% do que ano passado), enquanto a margem líquida foi de 183 milhões (mais 59,6%). O lucro atribuído ao grupo foi de 121 milhões de euros (mais 121,4%).

Sobre a evolução do negócio em Portugal, com a compra do Banif, o Santander indica que o crédito aumentou 24%, para os 30 mil milhões de euros.

"A incorporação dos saldos do Banif representou uma mudança na sua estrutura, aumentando o peso do segmento de empresas para 35% (31% em março de 2015). Em termos comparáveis, sem o efeito desta incorporação, os saldos diminuiriam em 2% (o que é um melhor comportamento do que o mercado", assinala o banco.

Por outro lado, os recursos aumentaram 22%, para os 30,6 mil milhões de euros, "principalmente devido à incorporação dos depósitos do Banif".

"Em termos homogéneos, o total de recursos regista um aumento de 4%, compatível com uma gestão muito focada na redução do custo dos depósitos", acrescenta o Santander.

Portugal representa 6% dos lucros totais do banco no primeiro trimestre o ano, que foram de 1.630 milhões de euros.

Lusa

  • Apoiar o Governo "é um dever constitucional"
    0:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que apoiar o Governo é um dever constitucional do Presidente da República. Num balanço do primeiro ano em Belém, Marcelo respondeu assim a quem o acusa de andar com o Governo "ao colo".

  • Brexit só avança com aprovação parlamentar
    3:04

    Brexit

    O Supremo Tribunal britânico decidiu que o Governo precisa de ter a aprovação do Parlamento para avançar com o Brexit. A decisão foi validada por uma maioria de oito contra três juízes e justificada esta terça-feira pelo Supremo britânico. Por consequência, a libra esterlina atingiu a cotação mais alta do ano em relação ao dólar.

  • Primeira-ministra da Escócia apela ao voto contra a saída da UE
    2:25

    Brexit

    Depois da decisão do Supremo Tribunal britânico em relação ao Brexit, a primeira-ministra da Escócia veio pedir aos deputados que votem contra a saída da União Europeia. Nicola Sturgeon vai apresentar uma moção no Parlamento escocês para que este se pronuncie sobre o Brexit.

  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.

  • As propostas Chanel para a próxima estação
    1:34

    Mundo

    Um dos desfiles mais aguardados do mundo da moda aconteceu esta segunda-feira, em Paris, com as propostas da casa Chanel para a próxima estação primavera/verão. No final do desfile, e pela primeira vez em 30 anos, Karl Lagarfeld não deu nenhuma entrevista à comunicação social.