sicnot

Perfil

Economia

Ministro alemão contra cimeira extraordinária sobre resgate à Grécia

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaüble, manifestou-se hoje contra uma cimeira europeia extraordinária para tentar desbloquear as negociações sobre o mais recente resgate à Grécia, reunião defendida pelo primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

© Joshua Roberts / Reuters

Em conferência de imprensa, Schäuble referiu que o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, decidiu não convocar para quinta-feira uma reunião extraordinária dos ministros da Economia e Finanças da zona euro sobre a Grécia.

O Eurogrupo reunirá quando tiver condições para isso, acrescentou Schäuble, em linha com o porta-voz de Dijsselbloem, Michel Reijns, que hoje assinalou que é preciso dar mais tempo para as negociações.

Também o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert, indicou que "não há nenhuma razão" para ser convocada uma cimeira extraordinária, uma vez que estão a decorrer negociações.

"Há um processo em curso, ao nível do Eurogrupo, e esse é o formato em que devem continuar as conversações", afirmou Seibert, que salientou que esta é a posição da chanceler alemã, Angela Merkel.

Seibert indicou que o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, pediu uma reunião do Eurogrupo nos próximos dias e que, neste momento, não será convocada uma reunião extraordinária, como pediu Tsipras.

Segundo Atenas, as negociações entre o Governo grego e os credores estão num impasse devido "à insistência do Fundo Monetário Internacional, que pede para que sejam adotadas medidas adicionais".

Lusa

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.